PUBLICIDADE
Topo

Coronavírus

SP reabre amanhã setor de serviços; regra para academias muda

Governo paulista atendeu pleito do próprio setor, e academias não terão mais que abrir em dois períodos - iStock
Governo paulista atendeu pleito do próprio setor, e academias não terão mais que abrir em dois períodos Imagem: iStock

Beatriz Gomes, Lucas Borges Teixeira e Rafael Bragança

Do UOL, em São Paulo

23/04/2021 14h08

O estado de São Paulo entra na nova etapa da fase de transição do Plano SP, determinada para dar diretrizes ao processo de flexibilização das medidas restritivas de controle da pandemia, a partir de amanhã (24). A novidade é a reabertura do setor de serviços, que poderá funcionar das 11h às 19h e com 25% de ocupação dos estabelecimentos, com uma diferença para as academias apresentada hoje.

Conforme anunciado há uma semana, o setor teria um esquema diferenciado em relação a restaurantes, salões de belezas e barbearias, que podem funcionar das 11h às 19h. As academias estavam previstas para funcionarem em dois períodos, das 7h às 11h e das 15h às 19h.

Hoje, o governo anunciou que os estabelecimentos poderão funcionar por oito horas, desde que seja entre as 6h e as 19h. A mudança era uma solicitação do setor, com o argumento de que a imposição de horários iria gerar mais aglomerações.

O limite das 19h segue igual para todos os setores de serviços porque continua em vigor no estado uma espécie de toque de recolher entre 20h e 5h, quando a permanência na rua é desestimulada e a circulação deve ser apenas para casos de deslocamentos essenciais.

da - Divulgação/Governo do Estado de São Paulo - Divulgação/Governo do Estado de São Paulo
Regras atualizadas da fase de transição do Plano São Paulo
Imagem: Divulgação/Governo do Estado de São Paulo

Além do setor de serviços, os parques estaduais voltam a funcionar das 6h às 18h e as atividades culturais estão permitidas entre 11h e 19h.

Segundo a secretária estadual de Desenvolvimento Econômico de São Paulo, Patricia Ellen, a gestão paulista fará um novo anúncio sobre novas medidas na próxima sexta-feira (30), para quando a fase de transição está prevista para se encerrar. Elas entrarão em vigor no dia seguinte, em 1º de maio.

Estratégia unificada

São Paulo entrou na fase de transição no último domingo (18), com a liberação da realização de missas e cultos religiosos presenciais e a reabertura do comércio entre 11h e 19h, também com limitação de 25% da ocupação dos estabelecimentos.

A fase de transição foi uma estratégia do governo paulista para unificar a flexibilização das medidas restritivas e a reabertura das atividades econômicas em todo o território paulista. No modelo tradicional do Plano São Paulo, o estado é subdivido em regiões, e cada uma delas pode ficar nas fases vermelha, laranja, amarela e verde, que determinam diferentes graus de restrições.

Após a fase de transição, há a expectativa de que regiões do estado possam avançar à fase laranja do Plano São Paulo. No entanto, isso ainda depende da evolução dos índices da pandemia, como ocupação de leitos de UTI (Unidade de Terapia Intensiva) e enfermaria, que têm apresentado queda.

Segundo a Secretaria de Saúde, o estado registrou queda conjunta nos indicadores diários de novos casos, novas internações e óbitos pela primeira vez em dois meses nesta semana. A causa é atribuída à diminuição da circulação de pessoas durante as fases mais restritivas.

Antes do atual momento, o estado permaneceu por pouco mais de um mês na fase emergencial, a mais restritiva até agora desde o início da pandemia.

Coronavírus