PUBLICIDADE
Topo

Cotidiano

Conteúdo publicado há
1 mês

Suspeito que deixou carro-bomba perto da Assembleia do Ceará é preso em SP

Paulo Diego da Silva Araújo, o ?Dino?, era a principal liderança de uma facção criminosa paulista instalada no Ceará  - Polícia Civil / Divulgação
Paulo Diego da Silva Araújo, o ?Dino?, era a principal liderança de uma facção criminosa paulista instalada no Ceará Imagem: Polícia Civil / Divulgação

Do UOL, em São Paulo

10/05/2021 17h05Atualizada em 10/05/2021 17h12

Um dos homens mais procurados do Ceará foi preso, ontem, em São Paulo. Paulo Diego da Silva Araújo, mais conhecido como Dino, é suspeito no caso de um carro-bomba que foi deixado próximo à Alce (Assembleia Legislativa do Ceará), em 2016. Ele foi detido pela Polícia Civil do Ceará em uma residência na cidade de Salto, a 120 quilômetros de distância da capital paulista.

Dino estava com um mandado de prisão em aberto e é investigado por integrar uma organização criminosa que atuava no narcotráfico, além de ser apontado como responsável por arquitetar ações criminosas contra o patrimônio público e privado no Ceará.

Agentes da Draco (Delegacia de Combate às Ações Criminosas Organizadas) percorreram 2.361 quilômetros para detê-lo. No momento da abordagem, o Dino tentou fugir, porém foi contido pelos policiais civis. Com ele, foi apreendido um aparelho celular.

Segundo informações divulgadas pela SSPDS (Secretaria de Segurança Pública e Defesa Social), Paulo Diego figurava na Lista de Recompensas, com a bonificação no valor de R$ 7 mil a quem levassem informações que pudessem ajudar na localização do suspeito.

As investigações em torno de Dino tiveram início em 2019, quando foi deflagrada a operação Aditum que, em latim, significa "acesso". O trabalho policial tinha como foco deter um grupo de integrantes recém-ingressos no crime.

O delegado Klever Farias, titular da Draco, disse em informações divulgadas pela Polícia Civil que o suspeito não era alvo inicialmente, mas com o andamento das investigações, foi possível perceber a forte atuação dele dentro do grupo criminosos. Dino pode ter cometido diversos crimes e atentados, segundo informações repassadas pelo delegado.

Paulo Diego da Silva Araújo responde a nove procedimentos policiais pelos crimes de roubo, roubo de carga, crime contra a fé pública, direção criminosa, furto qualificado, estelionato e por integrar organização criminosa. Dino também foi condenado por tráfico internacional de drogas.

Cotidiano