PUBLICIDADE
Topo

Cotidiano

Vitória para democracia, diz fotógrafo que será indenizado após ser ferido

Do UOL, em São Paulo*

11/06/2021 10h48Atualizada em 11/06/2021 10h59

O fotógrafo Alexandro Wagner Oliveira da Silveira disse hoje, em participação ao UOL News, que a decisão do STF (Supremo Tribunal Federal) para que o estado de São Paulo o indenize é uma vitória para a democracia.

Alexandro perdeu 90% da visão do olho esquerdo ao ser atingido por uma bala de borracha disparada pela Polícia Militar de São Paulo enquanto cobria uma manifestação de servidores públicos, em 2000, na avenida Paulista, em São Paulo.

Isso foi realmente uma grande vitória, não só para a categoria como para a democracia
Alexandro Silveira, fotógrafo

Para Alexandro, a decisão também é uma vitória para liberdade de imprensa, mas é importante que casos parecidos não ocorram mais ou sejam punidos com mais rapidez.

"Ela é uma resposta, vai dar garantia e dar um precedente, uma jurisprudência para que novos casos que possam vir a acontecer tenham um norte que não se precisa esperar 20 anos para que se decida", disse.

O fotógrafo foi atingido em uma operação da Polícia Militar para desobstruir a via pública. Durante o tumulto, 23 pessoas ficaram feridas. No recurso, a defesa pediu o pagamento de indenização por danos morais e estéticos em função dos prejuízos causados pela polícia.

Antes de chegar ao STF, a Justiça de São Paulo negou pedido de indenização por entender que o profissional teve culpa exclusiva na lesão ao ter permanecido no local após o início da confusão.

Alexandro ainda espera a definição de quanto será a indenização. "Eu sei que dinheiro nenhum no mundo vai pagar o que passei. Trocaria todo o dinheiro do mundo por isso, ter meu olho de volta e para ter 20 anos de perdas tudo de volta", disse.

"Mas eu acho que é justo no sentido de não ser mais um auê, um cala a boca para que a imprensa possa parar de falar e tenham brechas para depois não estar questionando esse precedente. Acho que é importante [a indenização] por isso", completou.

*Com informações da Agência Brasil

Cotidiano