PUBLICIDADE
Topo

Cotidiano

Conteúdo publicado há
1 mês

Homem denuncia motorista de aplicativo: 'Falou que preto não entrava'

Patrick Vinicius relatou injúria racial de motorista do 99; empresa afirmou ter banido colaborador - Reprodução/TV Globo
Patrick Vinicius relatou injúria racial de motorista do 99; empresa afirmou ter banido colaborador Imagem: Reprodução/TV Globo

Do UOL, em São Paulo

02/08/2021 22h20Atualizada em 02/08/2021 22h20

Um passageiro denunciou ter sido vítima de injúria racial cometida por um motorista de aplicativo em Guará, no Distrito Federal. O caso aconteceu por volta das 7h de sábado (31), quando Patrick Vinicius de Souza, de 25 anos, chamou um carro para levar o filho, de 3, até a creche.

Segundo relato do rapaz à TV Globo Brasília, o motorista não o deixou nem abrir a porta do veículo, afirmando que "preto não entrava no carro dele".

"Quando eu cheguei para poder abrir a porta, ele puxou, trancou a porta, e simplesmente falou que preto não entrava no carro dele. 'Não, preto de manhã não vai entrar no meu carro'. E aí, da forma que ele falou, o meu pequeno até chorou, deve ter achado que estava brigando com ele. E ele (o motorista) saiu cantando pneu com o carro e continuou xingando", detalhou Patrick à emissora local.

O rapaz disse que chamou a corrida pelo aplicativo de transporte 99. Em nota ao UOL, a empresa declarou que "lamenta profundamente o ocorrido com o passageiro Patrick Vinícius" e que já estão em contato com ele "para oferecer suporte".

"A plataforma tem uma política de tolerância zero a casos como esse e repudia veementemente qualquer ato discriminatório. Todos os usuários, sejam eles motoristas ou passageiros, devem se tratar com respeito e profissionalismo. Em comportamentos assim, que vão contra os Termos de Uso e o Guia da Comunidade 99, todas as medidas cabíveis são adotadas, incluindo o bloqueio imediato do perfil", completou o comunicado.

Também em nota ao UOL, a Polícia Civil do Distrito Federal confirmou que Patrick abriu um boletim de ocorrência às 9h43 de hoje, mas que como a denúncia ainda não havia sido homologada pelo delegado de plantão, detalhes não estão disponíveis.

O caso foi registrado como injúria Racial.

O UOL tenta contato com Patrick para acompanhar a investigação e o apoio oferecido pela 99. Assim que houver retorno, a matéria será atualizada.

Racismo x injúria racial

A Lei de Racismo, de 1989, engloba "os crimes resultantes de discriminação ou preconceito de raça, cor, etnia, religião ou procedência nacional". O crime ocorre quando há uma discriminação generalizada contra um coletivo de pessoas. Exemplo disso seria impedir um grupo de acessar um local em decorrência da sua raça, etnia ou religião.

O autor de crime de racismo pode ter uma punição de 1 a 5 anos de prisão. Trata-se de crime inafiançável e não prescreve. Ou seja: no caso de quem está sendo julgado, não é possível pagar fiança; para a vítima, não há prazo para denunciar.

Já a injúria racial consiste na utilização de elementos referentes a raça, cor, etnia, religião ou origem a fim de atacar a dignidade de alguém de forma individual. Um exemplo de injúria racial é xingar um negro de forma pejorativa utilizando uma palavra relacionada à raça.

Cotidiano