PUBLICIDADE
Topo

Cotidiano

PM é afastado após agredir e apontar arma para empresária ao cobrar dívida

Abinoan Santiago

Colaboração para o UOL

14/10/2021 13h21Atualizada em 14/10/2021 15h26

Um sargento de 41 anos foi afastado hoje das atividades ostensivas pela PM (Polícia Militar) do Distrito Federal, após aparecer em um vídeo agredindo uma empresária. Nas imagens, registradas na tarde de ontem, Osiel Alves da Silva chega a derrubar ao chão a vítima, de 43 anos, e aponta o que parece ser uma arma para ela.

De acordo com o boletim de ocorrência obtido pelo UOL, a briga começou depois que o militar, que estava fora do serviço, se exaltou durante uma cobrança de uma dívida em dólares que a vítima teria contraído com a esposa dele. O sargento não foi preso, uma vez que se apresentou voluntariamente na delegacia. A advogada da vítima afirmou à reportagem que a dívida era de R$ 40 mil.

No vídeo, ambos parecem conversar quando de repente a mulher levanta da cadeira e tenta retirar o militar do local o puxando pela camisa. Osiel reage, torcendo o braço da vítima para trás e a derruba ao chão.

A mulher é imobilizada e fica de bruços. O sargento coloca o joelho nas costas dela e depois tenta levantá-la com um mata-leão. Ao ficar em pé, a vítima parece pegar algum objeto na cozinha, fazendo o militar puxar uma arma e encostar o cano no colo da vítima.

agressão - Reprodução - Reprodução
Imagem: Reprodução

Versões dos envolvidos

No documento lavrado pela Polícia Civil, Osiel disse que iniciou as agressões depois que a mulher "desdenhou" dele. A vítima ainda disse "que não iria pagar e solicitou que ele se retirasse da loja e o empurrou, ocorrendo no momento uma discussão".

Ao tentar retirá-lo do estabelecimento, contudo, o policial alega que a mulher "pegou uma faca e foi em sua direção". No boletim, ele confirma que "pegou alguns objetos para abater a dívida". Ao UOL, a esposa do militar disse que o marido não comentará o caso.

A mulher - que também procurou a mesma delegacia - informou que marcou um horário para acertar a dívida com a esposa de Osiel, sendo surpreendida ao vê-lo entrando no local.

Ela ainda alega que o militar "passou a ofendê-la" e que por isso "solicitou que se retirasse do local", algo recusado pelo militar.

"Neste momento, segurou em sua camisa e o puxou para fora, momento em que este lhe agrediu. Ao conseguir se desvencilhar, apossou-se de uma faca com o objetivo de se defender, momento em que ele sacou uma arma de fogo", informou a mulher no BO registrado na Polícia Civil.

A advogada Anna Regatieri, que atua na defesa da empresária - que pede a identidade preservada -, informou que a vítima foi surpreendida pelo militar, pois havia marcado com a esposa dele para acertar o parcelamento do débito. A intenção do encontro seria combinar a forma do pagamento do restante de uma dívida no valor de R$ 40 mil, com pagamentos a partir de novembro, o que teria contrariado o militar, que a agrediu e ainda levou da empresa objetos eletrônicos e uma quantia em dinheiro.

"Como várias outras empresárias, ela está tendo dificuldade com a pandemia. Já havia pagado uma parte e ainda resta outra. Ela pediu para conversar com a esposa, que é a verdadeira credora, pois não deseja se omitir disso, mas quem apareceu foi o marido. Quando ele começou a xingá-la, pediu para se retirar. Ela está bastante chocada com tudo isso", disse.

A advogada comentou que o policial procurou primeiro a delegacia para se apresentar como vítima. Ele ainda teria registrado em uma unidade que não cobre a área onde o fato ocorreu, no Distrito Federal, para dificultar uma eventual prisão em flagrante.

O caso é apurado pela 21ª Delegacia de Polícia de Taguatinga Sul, onde o militar registrou.

PM apura agressões

Em nota ao UOL, a Polícia Militar disse que o "policial apresentou-se voluntariamente na 21ª DP" e que "abrirá o devido processo para apurar a conduta do policial e até que os fatos sejam elucidados", além de já tê-lo afastado do serviço de rua.

Cotidiano