PUBLICIDADE
Topo

Cotidiano

Conteúdo publicado há
1 mês

'Não deixe um soldado morrer': Pastor tem AVC em culto e morre após 2 dias

Vinícius Rangel

Colaboração para o UOL, em Vitória

21/10/2021 11h21Atualizada em 22/10/2021 08h57

Um pastor de 47 anos morreu depois de ter um AVC (acidente vascular cerebral) durante um culto em Cachoeiro de Itapemirim (ES). Ele cantava uma música que fala sobre não deixar "um soldado ferido morrer", no domingo (19), quando passou mal. Ele morreu dois dias depois, na terça-feira (19), no hospital para o qual foi levado após o incidente.

Geter Silva participava de uma convenção religiosa estadual na igreja Só o Senhor É Deus, transmitida pela internet. Durante o culto, ele chegou a receber a palavra do presidente do templo para contar um testemunho de vida. Por volta das 21h, o pastor resolveu cantar.

"Eu senti o desejo de dar a palavra a ele naquele momento", contou o pastor presidente João Amorim, ao UOL. "Ele estava muito feliz, contou que Deus tinha transformado completamente a vida dele e que queria continuar o trabalho missionário. Aí ele começou a cantar e passou mal. Ninguém esperava que isso fosse acontecer dessa forma, coisas de Deus."

pastor - Reprodução de vídeo/Facebook - Reprodução de vídeo/Facebook
Imagem: Reprodução de vídeo/Facebook

A gravação do culto circulou pelas redes sociais e as imagens mostram que ao cair, Geter ainda grita "aleluia" e desmaia. Fiéis não entenderam o que havia acontecido, e algumas pessoas continuaram o culto, acreditando que fosse uma demonstração espiritual.

O líder religioso foi socorrido por integrantes da igreja que eram técnicos de enfermagem e fizeram massagens cardíacas até ele voltar a respirar. Depois o levaram ao Hospital Santa Casa de Misericórdia de Cachoeiro. Em seguida foi transferido em estado grave para um hospital da capital, onde morreu.

Geter era pastor havia quatro anos no ES

A vida pastoral de Geter começou aos 44 anos. Ele se converteu, se afastou durante um tempo da igreja, mas retornou em 2018 quando se tornou pastor. De acordo com Amorim, Geter dava aula em seminários e participava de atividades da igreja há quatro anos em cidades do sul do estado.

Ele era natural do Rio de Janeiro e se mudou na infância para Cachoeiro de Itapemirim. Foi criado por alguns parentes e teve dois casamentos, que resultaram em seis filhos.

A família, muito abalada com toda a situação, não quis dar declarações ao UOL. Ele foi enterrado hoje pela manhã no cemitério municipal.

Pastor furtou tanquinho durante greve da PM em 2017

Durante a paralisação da Polícia Militar no Espírito Santo, em 2017, houve uma onda de violência nas cidades capixabas e lojas foram saqueadas. Em uma das imagens que circulou na época nas redes sociais, um homem carregava um tanquinho de lavar roupa, em Cachoeiro de Itapemirim.

O suspeito de furto no vídeo era o então pastor Geter. Meses depois, ele se arrependeu do crime cometido e buscou uma vida de fé, segundo o colega e também pastor, José Leite, que lamentou a morte do líder religioso.

"Estamos todos muito abalados com a perda desse homem, que tinha muito ainda pela frente. Sabemos que essa foi a vontade de Deus. Eu fui uma das pessoas que o ajudou no caminho da fé. Eu o vi saindo de uma vida triste e buscando Deus, vi essa transformação e estávamos todos felizes", comentou Leite.

Errata: o texto foi atualizado
Diferentemente do informado no título da matéria, a morte ocorreu dois dias após o culto. O conteúdo foi corrigido.

Cotidiano