PUBLICIDADE
Topo

Cotidiano

Conteúdo publicado há
7 meses

Presidente da Fundação Palmares ironiza Dia da Consciência Negra

O presidente da Fundação Palmares, Sérgio Camargo - Gabriela Biló/Estadão Conteúdo
O presidente da Fundação Palmares, Sérgio Camargo Imagem: Gabriela Biló/Estadão Conteúdo

Do UOL, em São Paulo

20/11/2021 15h48Atualizada em 20/11/2021 22h36

O presidente da Fundação Cultural Palmares, Sérgio Camargo, utilizou suas redes sociais para criticar as comemorações pelo Dia da Consciência Negra. Conhecido por atacar movimentos negros e por não reconhecer Zumbi como herói, Camargo ironizou a data chamando de "vitimização".

"Sugestões para dar credibilidade à data, já que consciência não tem cor: Dia da Mente Negra Escravizada pela Esquerda, ou Dia do Culto ao Ressentimento pelo Passado. Opcionalmente, Dia da Vitimização do Negro. Considerem também Dia de Luta pela Divisão Racial do Povo. Por nada", escreveu Camargo no Twitter.

O presidente da fundação também fez postagens criticando o líder quilombola Zumbi dos Palmares.

Desde que chegou à presidência da Fundação Palmares, Sérgio Camargo tem sido alvo de polêmicas e críticas em sua gestão. Ele se define como "negro de direita, antivitimista, inimigo do politicamente correto, livre".

Nomeado presidente da Fundação Palmares em novembro do ano passado, ele chegou a ter sua nomeação suspensa por decisão judicial, mas voltou à presidência em fevereiro deste ano, depois de uma liberação do STJ (Superior Tribunal de Justiça). Em maio, novamente o STJ recusou um pedido de afastamento feito pelo partido Rede Sustentabilidade.

Camargo já buscou diversas vezes minimizar o racismo sofrido por negros no Brasil e chamou movimentos negros de "conjunto de escravos ideológicos. Com frequência, o presidente ataca artistas e personalidades negros.

Desde que assumiu a presidência da Fundação, a instituição Ignora o Dia da Consciência Negra e não realiza nem apoia qualquer evento na Serra da Barriga, em União dos Palmares (AL), que historicamente promove uma extensa programação especial em homenagem à data e a Zumbi.

Recentemente, Camargo foi afastado da gestão de pessoal da Fundação Palmares. Na prática, ele está proibido de nomear, exonerar, conceder gratificações aos servidores, contratar funcionários e/ou cancelar contratos com empresas terceirizadas.

A decisão proferida pela Vara do Trabalho atende a um pedido do MPT (Ministério Público do Trabalho), que alegou que Camargo estava promovendo assédio moral e perseguição ideológica contra funcionários da Palmares.

Protestos durante a data

Além das celebrações previstas para comemorar o Dia da Consciência Negra, diversas cidades brasileiras realizam hoje atos contra o presidente Jair Bolsonaro (sem partido) e o racismo.

Foram registrados atos nas cidades de São Paulo, Campinas (SP), Rio de Janeiro, Salvador, Fortaleza, Goiânia, Campo Grande, Florianópolis, Londrina (PR), Belém, Altamira (PA), entre outras.

As marchas foram organizadas por movimentos sociais e sindicais e contam com apoio de partidos de oposição ao presidente. Entre as principais pautas estão críticas ao desmonte de políticas públicas ligadas à população negra pelo governo Bolsonaro e o aumento no preço dos alimentos e do gás.

Errata: o texto foi atualizado
Diferentemente do informado em versão anterior deste texto, a Serra da Barriga não é um município, mas uma região histórica da cidade de União dos Palmares (AL). O texto já foi corrigido.

Cotidiano