PUBLICIDADE
Topo

Cotidiano

Conteúdo publicado há
1 mês

Paraty: Marinha acha novo objeto pessoal em buscas por avião desaparecido

José Porfírio Júnior e Sérgio Alves Dias Filho estão desaparecidos há oito dias - Reprodução/Redes Sociais
José Porfírio Júnior e Sérgio Alves Dias Filho estão desaparecidos há oito dias Imagem: Reprodução/Redes Sociais

Do UOL, em São Paulo

02/12/2021 21h28Atualizada em 02/12/2021 21h28

Mais um objeto pessoal foi resgatado na busca pelos passageiros do voo que desapareceu há oito dias no mar entre Ubatuba (SP) e Paraty (RJ). O novo achado é uma nécessaire com pertences de um dos ocupantes do bimotor, segundo nota da Marinha do Brasil.

A embarcação de casco semirrígido "Tarpon" foi a responsável por localizar e resgatar a bolsa, que agora será enviada para perícia do Cenipa (Centro de Investigação e Prevenção de Acidentes Aeronáuticos), órgão da FAB responsável pela investigação. Depois, o item ficará a disposição dos parentes das vítimas. Duas pessoas ainda estão desaparecidas, o copiloto José Porfírio de Brito Júnior, 20, e o passageiro Sérgio Alves Dias Filho, 45. Terceiro ocupante, o piloto Gustavo Carneiro foi encontrado sem vida ainda no primeiro dia de buscas. Seu corpo foi cremado na semana passada.

Apesar de a Marinha não confirmar quem é o dono da nécessaire encontrada hoje, Ana Regina Agostinho, mãe do copiloto, afirmou em suas redes sociais que o objeto não pertence ao filho, detalhando que os parentes foram notificados apenas sobre a mochila de José resgatada no mar, no sábado (27). Na ocasião, a família reclamou sobre a falta de transparência do órgão, já que ficou sabendo sobre o achado pela imprensa.

"A nécessaire não é do Júnior, a mochila sim. Já está disponível pra retirar, só que está lá em São Sebastião, é muito longe, então eu não estou indo porque não quero me afastar, não quero sair do local em que foi o acidente", explica a esteticista.

Ela ainda destacou que continua acreditando que o rapaz será resgatado com vida, agradecendo o apoio dos bombeiros e de seus seguidores.

Me perguntaram se isso muda alguma coisa. Não muda nada, porque desde os primeiros momentos eu vim em busca do meu filho, como vocês sabem. Continuo aqui na minha fé atrás do meu filho e em momento algum eu vou cair, vou continuar aqui firme e forte. Então é isso, só pra deixar bem claro, nada mudou, minha fé está aqui firmada em uma rocha e agradeço imensamente a todos por toda essa ajuda.
Ana Regina Agostinho, mãe do copiloto José Porfírio Júnior

Piloto recebeu ajuda de Boeing

O piloto de avião José Porfírio de Brito, 60, pai do copiloto José Porfírio de Brito Filho, 20, afirmou que o bimotor do filho sofreu uma pane nos dois motores antes de cair no mar, na noite de quarta-feira (24), quando fazia o trajeto entre o Aeroporto dos Amarais, em Campinas, e o de Jacarepaguá, no Rio de Janeiro. Ele relatou as informações ao Corpo de Bombeiros do Rio de Janeiro, logo após o acidente.

Ainda segundo o jornal Extra, José Porfírio detalhou aos bombeiros que um comandante de um Boeing da companhia aérea Gol, que passava pelo local, teria recebido alerta pelo rádio de comunicação e orientou o piloto sobre como proceder diante da pane, com um pouso de emergência em direção à costa.

De acordo com os bombeiros, o pai do copiloto teria recebido as coordenadas da localização do acidente, local em que militares encontraram uma poltrona e objetos que acreditavam ser da aeronave.

"O que ele me relatou é que, como a aeronave estava em pane, tem um canal que eles pedem socorro para aeronaves que estão próximas, eles conseguiram um contato com um Boeing e o piloto dessa aeronave deu todas as dicas. Teria dito para mirar na costa. No relato do piloto da aeronave, ele disse que o primeiro e o segundo motor pararam", informou o coronel Rodrigo Bastos ao jornal carioca.

O comandante do Corpo de Bombeiros da Área Marítima explicou que, conforme o relato do pai, o comandante do Boeing orientou que o piloto do bimotor seguisse para a costa e destravasse as portas.

"Porque, num contato com a água, elas poderiam travar. Aí, o Boeing já acionou o Serviço Salvaero. Como o pai é piloto, ele partiu para lá e encontrou o assento e miudezas. Acreditamos que esse avião esteja inteiro no mar", disse Bastos.

Até agora a aeronave, o copiloto e o passageiro não foram localizados. Eles continuam sendo procurados pelos órgãos oficiais e bombeiros militares, e por uma força-tarefa de familiares e amigos que vão para alto-mar.

Cotidiano