PUBLICIDADE
Topo

Cotidiano

Mutirão improvisa ponte com pedra para liberar acesso a cidade ilhada na BA

Voluntários e o prefeito da cidade de Vereda (BA), além de bombeiros, reconstroem ponte de forma improvisada para dar acesso à cidade de Jucuruçu, ilhada pelas chuvas  - Prefeitura de Vereda (BA)
Voluntários e o prefeito da cidade de Vereda (BA), além de bombeiros, reconstroem ponte de forma improvisada para dar acesso à cidade de Jucuruçu, ilhada pelas chuvas Imagem: Prefeitura de Vereda (BA)

Aliny Gama

Colaboração para o UOL, em Maceió

13/12/2021 20h38

Um grupo de voluntários mobilizados pelo prefeito da cidade de Vereda (BA) atuou em mutirão junto ao Corpo de Bombeiros na para reconstruir de forma improvisada cinco pontes sobre o rio Jucuruçu destruídas pelas chuvas que atingiram a região Extremo Sul da Bahia. Em mutirão, os homens usaram pedras e troncos para que veículos pudessem passar levando mantimentos e resgatando moradores no município de Jucuruçu (BA), que ficou ilhado na pior enchente a atingir o sul do estado em 35 anos.

O temporal causado por um ciclone extratropical que se formou no oceano Atlântico deixou ao menos dez mortos e 267 feridos, de acordo com balanço da Defesa Civil divulgado na tarde desta segunda-feira (13). Há 51 cidades estão em situação de emergência, 6.371 pessoas desabrigadas e 15.199 desalojadas. O número de afetados pela chuva é de 220.297. Os dados ainda estão sendo atualizados e os números podem subir.

Mutirão

Vídeos registraram o momento em que o grupo de moradores, bombeiros e o prefeito se reúne para fazer reparos em cinco pontes. Em uma das gravações, homens se enfileiram lado a lado e saem retirando pedras do leito do rio para preencherem um buraco na cabeceira da ponte, enquanto máquinas aguardam para fazer a terraplanagem. Outra gravação mostra a situação mais tarde, com caminhões carregados de mantimentos atravessando a ponte. O grupo ainda ajuda o veículo a subir a estrada tomada por lama.

Voluntários e bombeiros improvisam ponte para ajudar cidade ilhada na Bahia

"Vamos pegar aqui no meio daquele mesmo jeito da ponte e fazer uma cabeceira, depois faz a outra. Não tem problema em colocar mais tábua. Vamos dividir o meio", diz o prefeito a um grupo que está do lado de Jucuruçu, enquanto o outro espera do outro lado para iniciar os reparos. Ao todo, foram reparadas cinco pontes para que o acesso ao município fosse restabelecido.

O trabalho foi realizado por equipes do município de Vereda em conjunto com o município de Itanhém, que se solidarizaram com os moradores de Jucuruçu. Enquanto equipes da prefeitura de Vereda abriram caminho, equipes do município de Itanhém arrecadaram donativos e levaram os veículos até a metade do trajeto rumo a Jucuruçu.

Ao UOL, prefeito Manrick Teixeira contou detalhes da ação. "Reuni um grupo de 30 homens daqui e fomos com as máquinas para abrir caminho para os veículos que estavam vindo de Itanhém com donativos e também fazer o socorro das pessoas que estavam ilhadas. Quando chegamos ao local, moradores e trabalhadores de fazendas iam se juntando para ajudar, disponibilizando tábuas, máquinas", afirmou Teixeira, que é presidente do Consórcio Público Intermunicipal de Infraestrutura do Extremo Sul da Bahia.

Segundo o prefeito, cinco caminhões carregados com lajotas serão enviados aos distritos de Nova Alegria, em Itamaraju (BA), e Coqueiro, em Jucuruçu (BA), na terça-feira (14) e ao município do Prado na quarta (15). *Agora, o que precisamos é ajudar esse povo, que já vivia na miséria, a reconstruir suas casas, a conseguir móveis para ter uma vida digna. A ajuda não é só de alimento", disse o prefeito.

A ação conta com apoio de empresários do município e do governo estadual. Segundo Teixeira, o governador da Bahia, Rui Costa (PT), liberou 15 máquinas para o trabalho de desobstrução e limpeza das estradas na região do Extremo Sul da Bahia. "Onde as máquinas forem chegando, vamos desobstruindo, limpando e reconstruindo", afirmou.

Segundo dados da prefeitura de Vereda, as chuvas intensas e enchentes ocorridas no município deixaram cerca de 200 pessoas desabrigadas, derrubaram 15 casas e muros de escolas, danificaram 15 pontes de cimento e o prédio da Secretaria Municipal de Saúde, que está interditado.

"Retiramos todos os moradores de Vereda, além dos seus móveis, que estavam em área de risco próximo ao rio, e os levamos para se abrigar nas escolas localizadas no alto, que não poderiam ser atingidas pela enchente. Desta forma, evitamos mortes de pessoas e uma perda maior material", contou.

Cotidiano