PUBLICIDADE
Topo

Cotidiano

Conteúdo publicado há
1 mês

No Rio, 12 mil clientes da Light ficaram sem luz após tiros em equipamentos

Funcionários da Light fazendo reparos em linhas no Rio de Janeiro - Reprodução/Instagram Light
Funcionários da Light fazendo reparos em linhas no Rio de Janeiro Imagem: Reprodução/Instagram Light

Do UOL, em São Paulo

30/06/2022 10h25

A concessionária de energia Light levantou que 12 mil clientes no estado do Rio de Janeiro foram afetados apenas este ano em decorrência de tiros disparados contra transformadores e outros equipamentos. O roubo de cabos também fez com que 18 mil pessoas ficassem sem energia por cerca de 15 horas, em média, só em 2022.

Os dados são de um levantamento feito pela própria companhia para apurar custos com manutenção gerados após crimes como furto de cabo, roubo de transformadores e tiros contra os equipamentos. Os casos foram registrados nos 31 municípios do estado, disse a companhia.

Em 2022, foram 72 ocorrências de equipamentos atingidos por tiros, sendo 31 transformadores. Desses, 39 casos ocorreram na Zona Norte do Rio de Janeiro, seguido pela Zona Oeste, com 13 casos.

O tempo de normalização do fornecimento de eletricidade pode chegar a 23h, alegou a empresa.

"Nestas situações, o tempo de restabelecimento da energia é demorado, pois além de ser um serviço complexo, que demanda a troca do transformador danificado, os técnicos da companhia só podem atuar na região quando há condições de segurança", diz o informe da Light.

Em relação aos roubos de cabos, de janeiro a abril deste ano, foram furtados 5,2 km de cabo, um número 182% maior do que o registrado em 2021, afirmou a Light.

"Entre 2019 e 2021, mais de 60 quilômetros de cabos foram furtados da rede elétrica da Light - uma média de 20 km por ano -, prejudicando cerca de 65 mil clientes", completou a empresa, que contabiliza os prejuízos sofridos nos últimos quatro anos de furtos de cabos na faixa de R$ 6,7 milhões.

Cotidiano