UOL EconomiaUOL Economia
UOL BUSCA

21/08/2007 - 16h36

Dirigentes dos EUA tranquilizam mercado; Bovespa chega a atingir 50 mil pontos

Da Redação
Em São Paulo
A Bolsa de Valores de São Paulo (Bovespa), que operava de modo instável, passou a definir trajetória de alta no começo da tarde, chegando a atingir 50 mil pontos.

Às 16h30, o Ibovespa, principal ínice de ações do país, havia recuado um pouco, aos 49.886 pontos, alta de 1,38%. Durante a manhã, alternava altas e baixas. O dólar, que registrava alta no começo dos negócios, parou de subir.

A escalada da Bolsa brasileira acompanha os mercados norte-americanos, onde os investidores se acalmaram depois da declaração de um senador, o presidente do comitê bancário do Senado norte-americano, Christopher Dodd.

Segundo ele, o presidente do Federal Reserve, Ben Bernanke, disse estar preparado para usar todas os meios disponíveis para amenizar a turbulência. O parlamentar, democrata, é pré-candidato à eleição presidencial de 2008.

ENTENDA O CHOQUE IMOBILIÁRIO
Arte UOL
Infográfico mostra como a crise dos imóveis nos EUA interfere no resto do mundo. Veja
Pouco antes, os índices americanos operavam em queda, repercutindo a afirmação do secretário do Tesouro, Henry Paulson, de que não há solução rápida para as preocupações com liquidez que estão afetando o mercado.

Na Ásia, os mercados de ações subiram nesta terça-feira. O banco central japonês injetou mais US$ 7 bilhões no setor financeiro. A intervenção é a quarta consecutiva da autoridade monetária japonesa e a sexta nos últimos 12 dias.

Ainda hoje, os governos do Japão e dos Estados Unidos decidiram manter o alerta sobre os mercados financeiros após a recente crise global, informou a agência de notícias japonesa "Kyodo".

Ontem, o Banco Central do Brasil anunciou que as reservas internacionais do país cresceram US$ 6,7 bilhões durante a onda de turbulências, atingindo US$ 160 bilhões. As reservas indicam qual a capacidade de a autoridade monetária socorrer os mercados em caso de emergência.

Crédito
O banco francês BNP Paribas, um dos maiores da Europa, anunciou hoje que pretende abrir até o final de agosto os fundos que haviam sido congelados no dia 9 de agosto por estarem expostos a empréstimos imobiliários de segunda linha dos Estados Unidos.

Naquela data, a instituição havia impedido seus clientes de sacarem dinheiro de três fundos, medida que fez aumentar fortemente as preocupações dos investidores sobre crédito, desencadeando uma seqüência de seis quedas seguidas em Bolsas de todo o mundo.

Ainda, o bilionário norte-americano Warren Buffett pode comprar partes da empresa de hipotecas Countrywide Financial. A companhia foi uma das responsáveis pela turbulência nas Bolsas, ao anunciar, no dia 24 de julho, uma queda de 33% no lucro trimestral, número bem mais fraco que o esperado.

Pesquisa
O ambiente econômico da América Latina é o melhor em sete anos, segundo pesquisa da Fundação Getúlio Vargas, em parceria com o instituto alemão Ifo. O índice utilizado no estudo atingiu 5,9 pontos, número mais alto desde abril de 2000.

Mas o dado estatístico mais aguardado da semana, pelos investidores do mercado financiro, é o número de moradias novas vendidas nos Estados Unidos. A informação será divulgada na sexta-feira e deve fornecer uma pista mais concreta sobre o tamanho da crise no setor de crédito imobiliário.

(Com informações de EFE, Reuters e Valor Online)

Shopping UOL