UOL EconomiaUOL Economia
UOL BUSCA

05/10/2006 - 17h26

Fabricantes de automóveis dos EUA criticam tarifas protecionistas

Toronto (Canadá), 5 out (EFE).- Os seis principais fabricantes de automóveis dos Estados Unidos pediram hoje à Comissão de Comércio Internacional (ITC) a eliminação das tarifas antidumping e compensatórias para as importações de aço resistente à corrosão.

Daimlerchrysler, Ford, General Motors, Honda, Nissan e Toyota se comprometeram a assumir um papel mais ativo durante o processo de revisão das tarifas que será empreendido pelo ITC, um organismo independente do Governo americano encarregado de determinar quais importações são prejudiciais à industria nacional.

Mustafa Mohatarem, economista-chefe da General Motors, destacou a importância da decisão.

"É a primeira vez que estas seis companhias se unem em um tema relacionado ao comércio", afirmou.

"Nos unimos contra esse protecionismo exagerado e injustificável à indústria do aço. A manutenção destas tarifas prejudica a competitividade do setor industrial dos EUA e seus postos de trabalho", disse.

Josephine Cooper, vice-presidente do grupo Toyota, assinalou que já não há uma base econômica para manter estas tarifas.

"O setor do aço se beneficia de uma proteção desnecessária, que prejudica um setor muito mais amplo da economia americana", afirmou.

Cooper acrescentou que as tarifas foram impostas há 13 anos, e que desde então a situação já mudou.

As tarifas, que entraram em vigor em 1993, afetam as importações de aço não corrosivo procedentes de Austrália, Canadá, França, Alemanha, Japão e Coréia do Sul.

As seis companhias afirmaram comprar cerca de US$ 200 bilhões em materiais. O setor do automóvel do país emprega 2,4 milhões de pessoas.

Shopping UOL