UOL EconomiaUOL Economia
UOL BUSCA

13/02/2007 - 11h06

Petrobras obtém lucro de R$ 25,9 bi em 2006, resultado recorde na América Latina

Da Redação
Em São Paulo
O lucro da Petrobras em 2006 atingiu R$ 25,919 bilhões, resultado 9% acima do apurado em 2005 (de R$ 23,725 bilhões). Segundo análise da consultoria Economática, o ganho da estatal foi o maior dos últimos 20 anos entre todas as empresas de capital aberto da América Latina.

Como referência internacional, o lucro da Petrobras atingiu em 2006 o equivalente a US$ 11,92 bilhões, conforme o balanço da empresa. Já a Exxon Mobil, que no último dia 1º de fevereiro anunciou ter obtido o maior lucro de uma empresa na história dos Estados Unidos, teve um lucro quase quatro vezes maior que a brasileira, de US$ 39,5 bilhões no ano passado.

Mesmo assim, a empresa indica em nota que o resultado em dólares foi 22,3% maior que o obtido em 2005, como conseqüência não só de vendas recordes, mas, também, da desvalorização de cerca de 7% sofrida pelo dólar em relação ao real no ano passado.

"Este resultado representou o maior crescimento do lucro (em dólares) entre as maiores empresas do setor", indica a Petrobras, que comparou seus números em dólares aos avanços obtidos por multinacionais como a Chevron (21,6%), ConocoPhillips (14,9%), Exxon (9,3%) e Shell (0,5%).

Produção
Segundo o balanço da companhia, a produção total de petróleo e gás natural da Petrobras, tanto no Brasil, como no exterior, aumentou 4%, passando de 2,217 milhões de barris diários em 2005 para 2,297 milhões de barris diários em 2006.

Já a produção da empresa no Brasil cresceu 5%, variando de 1,958 milhão de barris diários em 2005 para 2,054 milhões de barris diários em 2006.

Os investimentos da empresa cresceram 31% no ano passado, a R$ 33,686 bilhões, 45% dos quais destinados à ampliação da capacidade de produção no Brasil.

No comunicado, a empresa destaca, também, os investimentos no exterior: "A estratégia de internacionalização da empresa permitiu um aumento de 127% dos investimentos na área internacional, dentre os quais se destaca a aquisição da refinaria de Pasadena, por US$ 370 milhões".

A maior empresa brasileira captou receita líquida de R$ 158,239 bilhões de janeiro a dezembro de 2006, superando em 16% o resultado do ano anterior.

O Ebitda (lucro antes de impostos, juros, amortizações e depreciações, ou seja, o ganho obtido com as atividades da empresa, sem considerar flutuação de capital de giro e efeitos financeiros e tributários) cresceu 16%, para R$ 52,061 bilhões.

Ao final do ano passado, o valor de mercado da maior empresa brasileira estava em R$ 230 bilhões, com valorização de 33% em um ano.

Resultado do 4º trimestre
No quarto trimestre do ano passado, no entanto, o lucro da Petrobras ficou em R$ 5,2 bilhões, uma queda de 36% em relação ao mesmo período do ano anterior, quando lucrou R$ 8,1 bilhões.

Analistas já esperavam por um lucro menor da empresa no período, mas o resultado ficou abaixo da estimativa média apurada em pesquisa da agência Reuters, que projetou lucro de R$ 6,2 bilhões.

O Ebitda da companhia no período atingiu R$ 10,6 bilhões, 15,2% menor que os R$ 12,5 bilhões obtidos no quarto trimestre de 2005. Os mesmos analistas consultados pela Reuters esperavam um Ebtida de R$ 12,6 bilhões no período.

Gás boliviano
Durante a coletiva de imprensa para apresentação dos resultados, o diretor financeiro da Petrobras, Almir Barbassa, descartou alterar a política de preços de importação do gás natural boliviano, às vésperas de visita ao Brasil (prevista mas não confirmada) do presidente da Bolívia, Evo Morales.

"Essa é a nossa posição. Tem uma fórmula que rege o contrato, e é essa fórmula que deve se manter", disse Barbassa a jornalistas, respondendo a uma pergunta se a Petrobras poderia rever sua política de ajuste do preço do gás em função da visita de Morales.

(Com informações de Valor Online, Efe e Reuters)
Mais
Petrobras vai pagar R$ 7,9 bilhões em dividendos relativos a 2006
Alta de preços do petróleo e da produção levaram Petrobras a lucro recorde em 2006
Lucro do Itaú soma R$ 4,3 bi em 2006, recuo de 18% após compra do BankBoston
Leia outras notícias em UOL Economia

Shopping UOL