UOL EconomiaUOL Economia
UOL BUSCA

10/08/2007 - 12h21

Mantega: crise pode acelerar grau de investimento para Brasil

BRASÍLIA (Reuters) - As turbulências nos mercados financeiros globais poderão antecipar a concessão do grau de investimento [ser considerado bom para investir] por agências de classificação para o Brasil porque os investidores tenderão a ficar mais seletivos e priorizar economias que apresentem menor risco.

A avaliação é do ministro da Fazenda, Guido Mantega, que também frisou o fato de os bancos brasileiros estarem sólidos.

"Não vejo nenhum banco brasileiro envolvido na questão dos 'hedge funds', pelo contrário, o sistema financeiro brasileiro está bastante sólido, conforme vocês podem verificar com os lucros que estão sendo anunciados. Então aqui só afeta um pouco renda variável, de fluxo de capitais", afirmou Mantega a jornalistas.

O ministro destacou que o país está sendo beneficiado por uma entrada recorde de capitais externos este ano. "Então se diminuir um pouco o fluxo, se sair um pouco de recursos não altera nada, não tem nenhuma dificuldade maior", afirmou.

Sua aposta, pelo contrário, é que a turbulência poderá ter o efeito muito positivo para o país.

"Passada a turbulência, os capitais vão procurar fazer investimentos mais seguros nos países sólidos e certamente hoje o Brasil está entre eles", afirmou Mantega a jornalistas ao chegar ao ministério. "Talvez até faça com que o investment grade chegue mais rapidamente."

Mantega avaliou, ainda, que por enquanto não é possível falar em crise, na medida em que as tensões dos mercados ainda não atingiram a economia real.

Ele voltou a frisar que as turbulências não afetarão a política monetária brasileira, que é pautada pelo comportamento da inflação. "Como a inflação está abaixo do centro da meta não há nenhuma razão para mudança de política monetária."

(Por Isabel Versiani)

Mais
Bovespa opera em forte queda, com turbulência mundial
Bancos centrais fazem campanha mundial para acalmar investidores
Análise: Xerifes já avisaram que ninguém irá quebrar
Bolsas asiáticas despencam com crise nos EUA
Leia outras notícias em UOL Economia

Shopping UOL