UOL EconomiaUOL Economia
UOL BUSCA

21/09/2007 - 11h19

Investimento externo direto cresce 161% no ano e soma US$ 26 bi

Da Redação
Em São Paulo
A entrada de investimentos externos diretos líquidos no país somou US$ 2,040 bilhões em agosto, número 72,6% maior que o US$ 1,182 bilhão registrado no mesmo mês do ano passado.

Nos oito primeiros meses, o valor total atingiu US$ 26,488 bilhões, ou 3,78% do PIB. No mesmo intervalo de 2006, os investimentos foram de US$ 10,154 bilhões (1,45% do PIB). Na comparação entre o acumulado de 2007 e período equivalente do ano passado, a alta foi de 161%. Em 12 meses, os investimentos externos ficaram em US$ 35,117 bilhões, ou 2,98% do PIB.

Apesar do aumento no investimento externo direto, o superávit das transações do Brasil com outros países caiu 38% em agosto, em relação ao mesmo mês do ano passado. Um dos motivos é que o saldo positivo da balança comercial recuou, na mesma base de comparação. Ainda, houve um deficit na conta de serviços e rendas
SUPERÁVIT CAI EM AGOSTO
LEIA MAIS
Os dados foram divulgados nesta sexta pelo Banco Central e ficaram dentro da expectativa. A previsão do chefe do Departamento Econômico da instituição, Altamir Lopes, era de fluxo de US$ 2 bilhões para o período.

Os números levam em conta também os empréstimos intercompanhias, aqueles feitos pela matriz da multinacional para a subsidiária brasileira. Além disso, abatem as remessas feitas por conta de ganho do capital investido.

De acordo com o BC, do total ingressado em agosto, US$ 1,117 bilhão foi participação no capital. Foram contabilizadas também entradas líquidas de US$ 923 milhões em empréstimos intercompanhias.

Com os números de agosto, a estimativa para os investimentos estrangeiros diretos em todo o ano de 2007 foi elevada, passando de US$ 25 bilhões para US$ 32 bilhões.

(Com informações do Valor Online)
Mais
Gasto de brasileiros no exterior cresce 33% no ano e atinge US$ 5 bi
Em setembro, investimentos externos somam US$ 950 mi
Superávit nas transações com outros países cai 38% em agosto
Leia outras notícias em UOL Economia

Shopping UOL