UOL EconomiaUOL Economia
UOL BUSCA

11/10/2006 - 09h24

Impostos equivalem a 41% do preço dos brinquedos nacionais

SÃO PAULO - De acordo com um levantamento feito pelo Instituto Nacional de Defesa do Contribuinte e do Cidadão (INDC), cerca de 41% do preço final dos brinquedos nacionais correspondem a impostos.

Desta maneira, ao comprar uma boneca de R$ 299, por exemplo, você destina R$ 122 aos cofres públicos. Nos brinquedos importados, o INDC calcula que o percentual seja ainda maior, de 60%, o que daria R$ 179,40 da mesma boneca.

Estímulo à pirataria
Para o presidente do Instituto, Joel Gomes Moreira Filho - em entrevista ao Diário do Comércio, periódico da Associação Comercial de São Paulo - o grande problema da alta carga tributária dos brinquedos é que ela estimula a pirataria, o que gera perda de receita para o governo e pode até mesmo causar danos ao consumidor.

"Como não há nenhum controle sobre a qualidade desses brinquedos, o consumidor pode acabar comprando um produto nocivo à saúde de seu filho. Além disso, não existe a possibilidade de troca ou reclamação, pois o item foi comprado sem nota fiscal", argumenta Moreira Filho.

Impostos do videogame chegam a 73,38%
Segundo um estudo feito pelo IBPT (Instituto Brasileiro de Planejamento Tributário), a carga tributária média dos brinquedos no Brasil é de 41,98%.

E ao analisarmos os impostos dos principais itens que serão dados nesse Dia das Crianças, constata-se que o percentual pode chegar a 73,38%, como é o caso dos videogames. Na melhor das hipóteses, o consumidor pagará 25,5% de tributos, se comprar um microcomputador de presente.

De acordo com o IBPT, uma simples bola de futebol tem 47,69% de impostos embutidos, percentual um pouco menor do que os 53,98% de tributos dos patins. Uma bicicleta por sua vez, tem 47,13% de carga tributária e um MP3 player, 50,65%.

Shopping UOL