! Sky traz ao país antena de TV via satélite para transporte urbano - 02/08/2005 - Valor Online
UOL EconomiaUOL Economia
UOL BUSCA


Últimas Notícias


02/08/2005 - 18h43
Sky traz ao país antena de TV via satélite para transporte urbano

SÃO PAULO _ A empresa de TV via satélite Sky, controlada pelos grupos News Corporation, Globo e Liberty Media, apresentou hoje à imprensa um modelo de serviço de TV fechada para transporte urbano, utilizando uma antena móvel.

Apesar de afirmar que o serviço já está disponível a partir de hoje, a companhia admite que ainda não tem acordos fechados com os programadores para a oferta de canais. Segundo Ricardo Miranda, presidente da Sky Brasil, a intenção é oferecer o pacote completo de canais, mas os programadores de filmes, segundo ele, " ainda hesitam um pouco " em fechar o acordo.

As antenas, entretanto, já estão disponíveis, de acordo com o executivo. A companhia Korea Advanced Technology Information (Katis) irá fornecer os primeiros modelos, a um custo de cerca de US$ 2,5 mil. " Também estamos negociando com outros fornecedores " , disse Miranda.

O executivo afirmou que " o Brasil ainda é um país rodoviário " e que, diante da competição das empresas aéreas na faixa de preço próxima dos ônibus interestaduais, " as empresas de ônibus precisam ser mais competitivas " , disse ele.

De acordo com Miranda, um modelo parecido da antena móvel já é usado no país por barcos, mas a Sky afirma não saber quantos usam o serviço no país porque vende diretamente às marinas.

" Já existe também estudos para antenas de aviões, mas o preço ainda é inviável " , disse ele, em encontro com a imprensa, no congresso ABTA 2005.

A antena é colocada na parte exterior do veículo e conectada a um decodificador que fica no interior do transporte. A transmissão é feita por qualquer aparelho de TV. A antena dispõe de um sensor de direção capaz de rastrear o sinal do satélite sem interromper a transmissão mesmo em curvas acentuadas, segundo a companhia.

As antenas ficam fechadas em redomas de vidro para que o vento não interfira na captação e as intempéries não danifiquem o equipamento.

(Taís Fuoco | Valor Online)