! Acordo entre Sky e Bandeirantes pode ser início do fim das disputas - 02/08/2005 - Valor Online
UOL EconomiaUOL Economia
UOL BUSCA


Últimas Notícias


02/08/2005 - 18h55
Acordo entre Sky e Bandeirantes pode ser início do fim das disputas

SÃO PAULO - As disputas entre a Rede Bandeirantes e as companhias de TV por assinatura podem ter encontrado um primeiro passo para a solução. O Grupo Bandeirantes anunciou ontem um acordo com a Net Brasil para levar o conteúdo de seu canal de agronegócios, o Terraviva, para dois pacotes de canais da Sky, operadora de TV via satélite.

Segundo o vice-presidente do grupo Bandeirantes de Comunicação, Paulo Saad Jafet, "esse é um primeiro passo de vários para descomprimir as relações". Segundo ele, a Bandeirantes vai continuar desenvolvendo todos os esforços para que o sinal de sua programação esteja em todos os canais possíveis.

"Usaremos de todos os meios legais para atingir esse objetivo", afirmou o executivo. "As pendências acabam na medida em que a dinâmica das posições evolua", ressaltou.

A polêmica ganhou força com o anúncio da fusão entre Sky e Directv. A Bandeirantes já tem seus canais BandSports e BandNews na grade da Sky e se mostrou preocupada com a participação do conteúdo nacional após a fusão. "É claro que temos o objetivo comercial de defender nosso negócio, mas há também a defesa da produção nacional", reiterou.

O acordo anunciado nesta terça, segundo Fernando Ramos, diretor executivo da Net Brasil, será "o primeiro" entre os canais da Bandeirantes. Segundo ele, "a demanda por conteúdo de agronegócio no país é real" e, por isso, o canal entra na Sky a partir da próxima segunda-feira e será facultativo para a Net Serviços, operadora de cabo que também usa a Net Brasil nas negociações de conteúdo.

"Há o compromisso da Net Brasil de levar o conteúdo para as outras operadoras", afirmou Ramos. A Net Brasil é uma empresa das Organizações Globo que trabalha com 20 grupos de operadoras de TV por assinatura. Segundo Ramos, a companhia notou que "há complementaridade" entre o canal Terraviva e o Canal Rural, da RBS, que já está na grade da Sky.

Ao contrário do BandSports e BandNews, o Terraviva é um canal aberto e, por isso, não pode ser cobrado do cliente. Segundo Saad, a Sky se concentra nas regiões urbanas e nas de maior poder aquisitivo, "o que vai agregar valor ao canal na captação de anunciantes".

O executivo preferiu não dar detalhes da renegociação da dívida da companhia. Segundo ele, a Bandeirantes fez uma "oferta pública aos credores" para renegociar os termos do endividamento e alongar os prazos e agora espera a sua adesão. A companhia interrompeu os pagamentos da dívida em 2002. O montante está avaliado em mais de U$ 100 milhões.

(Taís Fuoco | Valor Online)