! Juiz diz que Varig passa por "transição lenta" e que passageiros devem procurar se defender - 24/07/2006 - Valor Online
UOL EconomiaUOL Economia
UOL BUSCA


Últimas Notícias


24/07/2006 - 17h20
Juiz diz que Varig passa por "transição lenta" e que passageiros devem procurar se defender

RIO - Apesar da confusão nos aeroportos do país, devido aos cancelamentos de diversos vôos da Varig, o juiz Paulo Roberto Fragoso argumenta que a empresa se encontra num período de transição depois de ter sido comprada, na última quinta-feira, pela VarigLog. "Essa situação dos passageiros é angustiante, mas não é num estalar de dedos que a situação vai mudar. A Varig chegou ao fundo do poço e a transição é lenta", disse Fragoso, um dos juízes que trata do plano de recuperação da aérea.

Embora concorde que o período seja de transtornos para os usuários, Fragoso afirma que os passageiros podem recorrer aos órgãos de defesa do consumidor. Segundo ele, a VarigLog tem interesse em restabelecer a normalidade da operação e, conforme Fragoso, "não tem nenhuma intenção de manchar o nome da Varig".

A assessoria de imprensa da Varig ainda não está divulgando quais são efetivamente os vôos que estão operando hoje. Na quinta-feira, poucas horas depois de comprar a Varig, a VarigLog anunciou que iria cancelar todos os vôos, ficando apenas com o trecho Rio/São Paulo, até o dia 28 de julho. Entretanto, a Associação Nacional de Aviação Civis (Anac) disse que a Varig tem que manter os vôos que vinham sendo feitos desde o dia 21 de junho, quando adotou um plano de emergência. Esse plano previa operação de apenas 25 de seus 60 destinos e os bilhetes dos vôos cancelados eram endossados por outras empresas aéreas. Para a Anac, o plano de contingência continua válido e deve ser respeitado pela Varig.

(Ana Paula Grabois | Valor Online)