! Juntas, Sky e DirecTV esperam redução de cerca de US$ 35 milhões em custos operacionais por ano - 30/08/2006 - Valor Online
UOL EconomiaUOL Economia
UOL BUSCA


Últimas Notícias


30/08/2006 - 17h51
Juntas, Sky e DirecTV esperam redução de cerca de US$ 35 milhões em custos operacionais por ano

SÃO PAULO - As operadoras de TV via satélite Sky e DirecTV já operam sob uma única figura jurídica. As duas companhias também já estão no mesmo escritório e começaram a migração dos clientes para uma única plataforma e a integração efetiva de seus departamentos. As empresas projetam que, após esse processo, as reduções de custos operacionais sejam da ordem de US$ 30 milhões a US$ 35 milhões anualmente.

"Só em satélite será uma economia de US$ 12 milhões por ano", afirma Luis Eduardo Baptista, presidente da nova companhia, que ainda não tem uma definição sobre a marca. Segundo ele, na integração as companhias ficarão com o satélite da Sky, que "está mais bem localizado", de acordo com o executivo.

Por isso, após a migração total da base de clientes, o que deve acontecer em dois anos, o sistema de satélite hoje usado pela DirecTV poderá ser desligado, o que vai gerar a economia projetada.

O executivo também citou gastos menores em marketing e em call center com a junção entre as duas empresas. Segundo Baptista, a Sky tem call center próprio, enquanto o da DirecTV é terceirizado. Após a fusão, a nova empresa "deve manter um sistema híbrido", segundo ele.

Há casos de cargos redundantes, principalmente no setor administrativo, segundo ele, mas a companhia não pretende fazer cortes. "Em um ou dois anos o crescimento do negócio deve garantir a ocupação desse pessoal", afirmou, em encontro com a imprensa, sem citar, porém, os números de funcionários envolvidos.

Na diretoria, o presidente da Sky deixou a empresa, assim como outros sete executivos - quatro da Sky e três da DirecTV - antes mesmo da integração. Por isso, da estrutura de 18 diretores que as empresas somavam há dois anos, restam 11 hoje.

A nova companhia tem cerca de 1,4 milhão assinantes no país, dos quais 940 mil vieram da Sky e 500 mil da DirecTV. Após a fusão, a DirecTV Group passou a controlar 74% da companhia e a Globo Comunicação e Participações, 26%.

(Taís Fuoco | Valor Online)