UOL EconomiaUOL Economia
UOL BUSCA

26/03/2007 - 13h07

Serra é aprovado por 39% dos paulistas, e seu antigo vice na prefeitura, Kassab, é rejeitado por 42%

SÃO PAULO - O governador de São Paulo, José Serra (PSDB), tem 39% de aprovação em seus três primeiros meses no cargo, segundo levantamento divulgado hoje pelo Datafolha. Dessa forma, ele supera inclusive o desempenho do governador Mário Covas que, em seu primeiro trimestre no Palácio dos Bandeirantes, entre janeiro e março de 1995, tinha 31% de aprovação.

Por outro lado, na prefeitura de São Paulo, o antigo vice de Serra, Gilberto Kassab (PFL), obteve, a cinco dias de completar um ano no cargo, níveis de rejeição comparáveis aos de Celso Pitta em seu primeiro ano no comando da capital, em novembro de 1997. Na cidade, 42% da população considera o trabalho de Kassab ruim ou péssimo, contra apenas 15% que o classificam como bom ou ótimo.

Apesar das demonstrações de destempero de Kassab na prefeitura, Serra permaneceu blindado à rejeição de seu substituto. Ainda assim, há pontos que podem indicar fragilidade. Uma delas é o nível de rejeição ao governador dentro da capital. Na cidade de São Paulo, 27% da população considera a atuação de Serra ruim ou péssima, e apenas 31% a classificam como ótima ou boa. Em comparação, nas cidades do interior do estado, apenas 8% rejeitam a atuação de Serra, contra 45% que aprovam.

Ao contrário da época de campanha, quando tinha os mais altos níveis de intenção de voto entre eleitores com maior renda e escolaridade, hoje os paulistas que mais apóiam seu governador são os de baixa renda (40% entre ganho de até dois salários mínimos e 36% entre os com entre 5 e 10 mínimos) e escolaridade (41% entre aqueles com nível fundamental e 33% entre os com nível superior).

Apesar de ganhar de Covas na comparação, Serra não enfrentou em seu primeiro trimestre nenhuma crise de grande extensão. Mesmo o acidente na Linha 4 do Metrô de São Paulo, que deixou sete pessoas mortas, parece não ter afetado significativamente a média geral do governador. Já Covas, logo no primeiro mês de seu governo, realizou um profundo ajuste fiscal nas contas do Estado, com medidas altamente impopulares, como demissões e cortes de gastos, que se refletiram diretamente na pesquisa.

Ainda de acordo com o Datafolha, dos 39% que aprovaram Serra, 40% também consideram bom ou ótimo o governo do presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) e 31% disseram que votaram nele para o Palácio do Planalto.

Na prefeitura, Kassab colhe os frutos de seus excessos. De acordo com a pesquisa, ao mesmo tempo que aumentava o número de pessoas que afirmavam conhecer seu trabalho, subia também seu índice de rejeição. Suas atitudes, marcadas pelo objetivo de se transformar em candidato viável à reeleição em 2008, saíram pela culatra, como quando expulsou um manifestante de um posto de saúde aos berros de "vagabundo", ou quando fez uma piada sobre o acidente do Metrô, que tiveram enorme repercussão negativa.

A pesquisa sobre Serra foi realizada entre os dias 19 e 20 deste mês em todo o Estado, com 1.839 entrevistados. Segundo o Datafolha, a margem de erro é de 2 pontos percentuais, para cima ou para baixo.

Já o levantamento da atuação do prefeito ouviu 1.092 pessoas com mais de 16 anos entre 19 e 20 de março e tem margem de 3 pontos percentuais, para mais ou para menos.

(José Sergio Osse | Valor Online)

Shopping UOL