UOL EducaçãoUOL Educação
UOL BUSCA



29/08/2004 - 18h46
Enem adota liberdade de informação como tema de redação

Da Redação
Em São Paulo


"Como garantir a liberdade de informação" foi o tema da redação do Enem (Exame Nacional do Ensino Médio) deste ano. A partir de uma charge, de três textos com diferentes análises sobre o papel da mídia e de trechos da Constituição Federal, os participantes tiveram que desenvolver uma dissertação. O Enem foi realizado neste domingo (29/8), pelo Inep (Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira).

Os participantes também responderam a 63 questões de múltipla escolha. Os cadernos de provas foram apresentados em quatro cores diferentes (amarelo, verde, branco e rosa), sendo que cada caderno trouxe as mesmas questões ordenadas de diferentes formas. Os gabaritos e a prova podem ser acessados nos endereços www.inep.gov.br e www.mec.gov.br. Seguem anexos os gabaritos nas quatro cores.

Segundo o Inep, a realização do Enem transcorreu com tranqüilidade em todo o País. Para operacionalizar o exame, aplicado em 2.323 locais de prova de 608 municípios de todas as unidades da Federação, foram mobilizadas 117.160 pessoas, sendo 2.433 coordenadores de locais de prova, 99.932 fiscais e 14.795 pessoas para apoio logístico. Do total de inscritos, 86% foram beneficiados com a isenção da taxa de inscrição.

Pela primeira vez, o exame foi aplicado nas unidades internas da Febem ( Fundação de Bem-Estar do Menor). Foram inscritos 141 internos de 41 unidades da Febem do Estado de São Paulo. Também estavam inscritos para participar do Enem, 237 detentos de dez penitenciárias do Paraná, São Paulo e Rio de Janeiro. O Inep prestou, ainda, atendimento a 199 portadores de necessidades especiais.

O Enem é um exame interdisciplinar e contextualizado, que avalia o desempenho do aluno ao término da escolaridade básica em cinco competências: domínio de linguagens, compreensão de fenômenos, enfrentamento de situações-problema, construção de argumentações e elaboração de propostas de intervenção na realidade. Também é utilizado como modalidade alternativa ou complementar aos processos seletivos para ingresso no ensino superior por 455 instituições, sendo 52 públicas.