UOL EducaçãoUOL Educação
UOL BUSCA

18/04/2007 - 19h36
Há mais escolas indígenas, mas professores pedem novas vagas

Da redação
Em São Paulo*


Agência Brasil

Professora indígena que participou do encontro desta 4ª com Haddad

Professora indígena que participou do encontro desta 4ª com Haddad

O Brasil tem atualmente 163.773 alunos indígenas matriculados em 2.323 escolas em todo o país, de acordo com o Ministério da Educação. Ainda assim, para os professores indígenas, essas vagas são insuficientes e a qualidade do ensino deixa a desejar.

Uma comissão de docentes indígenas se reuniu nesta quarta (18) em Brasília com o ministro da Educação, Fernando Haddad para expor as reivindicações. Um das causas para esse quadro, segundo os professores, é a indefinição sobre a responsabilidade pelo setor: se da União, dos Estados ou dos municípios.

O estudo "Estatísticas sobre Educação Escolar Indígena no Brasil", elaborado pelo Inep (Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira) e lançado também nesta quarta (18), reconhece o problema da indefinição sobre a responsabilidade em relação às escolas indígenas.

De acordo com a publicação, as escolas indígenas aumentaram de 1.392 em 1999 para as 2.323 em 2005 -- aumento explicado pelo Inep não apenas pela criação de unidades mas também "pela regularização de um grande número de escolas e salas de aulas que antes não eram reconhecidas como indígenas".

Dos 163.773 estudantes indígenas, 51,8% estão matriculados em escolas municipais, 47,6%, em estaduais, e 0,6% em particulares.

O número de estudantes indígenas também cresceu, em quase 50%: de 93.037 em 1999 para 163.693 em 2005. O número de matrículas aumentou sobretudo na educação infantil e em creches: de 7.584 para 18.114, no mesmo período.

O estudo chama a atenção ainda para o baixo número de estudantes indígenas no ensino médio -- que subiu de 943 em 2005 para 4.270 em 2005. A pesquisa diz que "apesar do crescimento evidente, o número de matrículas no ensino médio nas escolas indígenas é ainda absolutamente incipiente, revelando a baixa estruturação de dos níveis de ensino na terras indígenas". Apenas 13 Estados do país oferecem ensino médio especializado a estudantes índios.

Segundo o Inep, os alunos que desejam continuar seus estudos após o ensino fundamental têm de buscar escolas nas zonas urbanas e rurais.

Além da demanda pela construção de escolas, os professores pediram também ao ministro Haddad material didático e merenda escolar em quantidade maior e mais adequadas à realidade indígena, em vez de alimentos industrializados.

O ministro pediu às lideranças indígenas a elaboração de um documento que liste todas as dificuldades da área e defendeu a elaboração de um projeto de lei que trate especificamente da educação indígena. "O MEC se compromete a tramitar no Executivo esse PL [projeto de lei] para encaminhamento ao Congresso Nacional", disse.

Com informações da Agência Brasil e do MEC

*Atualizada às 19h53




ÚLTIMAS NOTÍCIAS
25/03/2008

16h27- "Salário de professor só aumenta em ano eleitoral", diz ministro

16h19- Acordo ortográfico não tem obstáculo na CPLP, diz Portugal

15h26- Ministro da Educação diz que só um sexto dos alunos chegará à universidade

15h05- Começa sabatina com ministro da Educação Fernando Haddad

12h54- UOL transmite sabatina com ministro da Educação às 15h

12h33- Como a Finlândia fez para ter as melhores escolas do mundo

11h00- MEC classifica 37 municípios como modelos de ensino público

10h52- Cinco pés de maconha são achados em campus da UFSC

10h17- Federal da Paraíba recebe inscrições para vagas remanescentes

09h23- Governo investiga receita de sucesso no ensino de 37 cidades

ÍNDICE DE NOTÍCIAS