PUBLICIDADE
Topo

Candidato cai em rio enquanto grava propaganda eleitoral e vídeo viraliza

 Julian Cuadal (PDT) após cair dentro do Rio Machado, que passa por Rondônia - Reprodução/Youtube
Julian Cuadal (PDT) após cair dentro do Rio Machado, que passa por Rondônia Imagem: Reprodução/Youtube

Colaboração para o UOL, em São Paulo

21/10/2020 14h10

Viralizou na internet um vídeo do candidato à prefeitura de Ji-Paraná, em Rondônia, Julian Cuadal (PDT), caindo dentro de um rio. A queda ocorreu enquanto ele fazia uma gravação para uma campanha eleitoral, no último domingo (18).

O próprio candidato compartilhou a cena em suas redes sociais e explicou o episódio por meio de uma legenda e vídeo descontraídos. "Eu não poderia deixar de compartilhar com vocês minha 'vídeo cassetada' de ontem, durante as gravações da nossa campanha. Estou rindo até agora!", escreveu Cuadal.

O político confirma que é ele mesmo caindo nas margens do Rio Machado, que passa por Rondônia. Ele diz que teve um dia bem corrido, durante o qual esteve no distrito de Nova Colina, onde começou a gravar a propaganda eleitoral em estúdio.

"Logo depois [de Nova Colina] eu vim para Ji-Paraná fazer algumas tomadas na beira do rio e em dado momento, diante do cansaço e até de uma tontura, eu me desequilibrei um pouco e para evitar que caísse de joelho em uma pedra, eu tive que cair de lado, me jogar um pouco", explicou Cuadal, no vídeo.

O candidato revela que depois do acontecimento recebeu ligações de conhecidos preocupados com ele — até a noiva o telefonou. Mas Cuadal garantiu que tudo está bem e, tranquilo, contou que acha que "tomar banho no Rio Machado sempre faz bem a alma [dele]".

Reiteirou ainda que "foi uma video cassetada, mas é sempre bom dar risada". "Eu ri junto, quase perdi a voz de tanta gargalhada que dei ontem e estou dando ainda hoje com as pessoas que vêm comentar a respeito desse vídeo", disse.

Julian Cuadal se tornou candidato na disputa em Ji-Paraná após a renúncia do prefeito Macito Pinto (PDT), preso em setembro pela Polícia Federal durante a operação Reciclagem, que apura crimes contra a administração pública.