Topo

Cabo eleitoral é morta com 14 tiros um dia após relatar ameaça em Magé (RJ)

Tatiana Campbell

Colaboração para o UOL, no Rio

30/10/2020 14h29

Uma mulher foi morta a tiros em Magé, na Baixada Fluminense, hoje pela manhã. Renata Castro, de 40 anos, foi assassinada na porta de casa, na rua Florêncio Vidal, no bairro Fragoso. De acordo com as investigações, ela era cabo eleitoral da família Cozzolino, tradicional na política da cidade e que esteve no comando da Prefeitura de Magé por diferentes mandatos.

Segundo testemunhas, Renata foi atingida por pelo menos 14 disparos. Ela é conhecida no município por publicar vídeos na internet fazendo acusações contra a atual prefeitura.

Ontem, na véspera do assassinato, Renata Castro afirmou, em frente à Polícia Federal, que havia feito uma denúncia contra o prefeito de Magé, Rafael Tubarão (Cidadania). Em meio às críticas ela fala que sofreu ameaças.

"Não adianta me ameaçarem de morte. Hoje, teve dois cidadãos que foram no prédio me ameaçar, me coagir. To esperando, não tenho medo de você. O que eu fiz ontem eu vou fazer amanhã, vou fazer depois de amanhã, eu vou fazer quantas vezes forem necessárias, porque eu não devo nada a justiça. O que vocês estão fazendo hoje com o nosso município de Magé é uma formação de quadrilha. Um prefeito canalha, que está brincando com a nossa saúde, com a nossa educação, com o nosso saneamento básico. Mais uma denúncia aqui na Polícia Federal", disse no vídeo.

Horas antes de ser assassinada, Renata Castro postou nas redes sociais uma mensagem de aniversário para a filha: "Pegar você nos meus braços pela primeira vez sabendo que você chegou ao mundo perfeita e cheia de saúde, presenteou a minha vida com o meu melhor momento. Hoje é um dia muito especial e cheio de felicidade! Receba esta mensagem com todo o amor do mundo! Parabéns, minha filha! Feliz aniversário!", escreveu Renata.

Candidato a prefeito lamenta morte

O deputado estadual e candidato a prefeitura de Magé, Renato Cozzolino (PP), divulgou uma nota de pesar pela morte de Renata Castro.

"Foi com muita tristeza que recebemos a notícia do assassinato da nossa amiga e liderança Renata Castro. Ela vinha exercendo um papel democrático e de combate às irregularidades no município. Tinha um longo e belo caminho à frente em defesa de nossa cidade. Deixo aqui meus sentimentos a toda a família e um pedido às autoridades competentes: investiguem! Não deixem que, assim como no assassinato de nosso amigo P9 [Paulo Henrique Dourado Teixeira, conhecido como Paulinho P9, morto em 2018], a história de Renata seja esquecida. Queremos e precisamos de uma Magé de mais amor, paz e respeito. A população não merece viver em uma terra sem lei onde não se pode ter voz. "Paz sem voz não é paz. É medo!" Descanse em paz, amiga, e que Papai do Céu te acolha em seu divino amor".

Polícias Civil e Federal no caso

A Delegacia de Homicídios da Baixada Fluminense foi acionada e disse que está trocando informações com a 65ª DP (Magé), delegacia da área onde ocorreu o crime, para levantar informações que possam auxiliar na identificação da autoria do crime.

Já a Polícia Federal informou em nota que "está atuando, de forma coordenada com a Justiça Eleitoral e acompanhando para verificar desdobramentos, inclusive já tendo equipe mobilizada. Quanto ao homicídio, é atribuição da Polícia Civil, mas haverá acompanhamento por parte da Polícia Federal".

Errata: o texto foi atualizado
Diferentemente do que foi informado, Rafael Tubarão é filiado ao Cidadania, e não ao antigo PPL. A informação foi corrigida.

Comunicar erro

Comunique à Redação erros de português, de informação ou técnicos encontrados nesta página:

Cabo eleitoral é morta com 14 tiros um dia após relatar ameaça em Magé (RJ) - UOL

Obs: Link e título da página são enviados automaticamente ao UOL