PUBLICIDADE
Topo

Taboão tem a disputa mais apertada do 2º turno com diferença de 1.695 votos

Jose Aprigio da Silva (Podemos) foi eleito prefeito de Taboão da Serra - Divulgação - 28.nov.2020
Jose Aprigio da Silva (Podemos) foi eleito prefeito de Taboão da Serra Imagem: Divulgação - 28.nov.2020

Fabiana Maranhão

Colaboração para o UOL

29/11/2020 23h19

Em Taboão da Serra, na Grande São Paulo, o prefeito eleito superou o adversário por 1.695 votos de diferença, na disputa mais apertada do segundo turno das eleições.

Eleito, Jose Aprigio da Silva (Podemos) recebeu 67.853 votos (50,63% votos válidos) enquanto Engenheiro Daniel (PSDB) obteve 66.158 votos (49,37% dos votos válidos).

No primeiro turno, a diferença de votos entre os dois candidatos foi um pouco maior (1.950 votos), tendo Engenheiro Daniel conquistado mais votos que Aprigio.

Mais resultados apertados no 2º turno

Em outras cidades, prefeitos também foram eleitos com uma diferença pequena em relação ao candidato concorrente.

Em Mauá (SP), Francisco Marcelo de Oliveira (PT) foi eleito por 2.676 votos de diferença. Ele somou 91.459 votos (50,74% dos votos válidos) enquanto Atila Cesar Monteiro Jacomussi (PSB), que tentava a reeleição, recebeu 88.783 votos (49,26% dos votos válidos).

Em Caucaia (CE), o prefeito eleito conseguiu 3.543 votos a mais que o outro candidato. Vitor Pereira Valim (PROS) recebeu 83.588 votos (51,08% dos votos válidos). Já Naumi Gomes de Amorim (PSD) teve 80.045 votos (48,92% dos votos válidos).

Em Diadema (SP), a diferença de votos foi de 5.618 entre o prefeito eleito e o adversário. José de Filippi Júnior (PT) foi reeleito com 106.849 votos (51,3% dos votos válidos), enquanto o rival Taka Yamauchi (PSD) somou 101.231 (48,6% dos votos válidos).

1º turno teve diferença de 1 voto e até empate

O primeiro turno das eleições municipais deste ano foi marcado por duas disputas ainda mais apertadas.

Na cidade paraibana de Caraúbas, houve um empate. O atual prefeito Silvano Dudu (DEM) recebeu o mesmo número de votos do que Nerivan (MDB): 1.761.

Como não tem segundo turno no município, Silvano foi reeleito por ser o mais velho, que é o que determina a lei. Ele tem 52 anos, contra 34 de Nerivan.

Já a disputa para a prefeitura de Piquerobi, no interior de São Paulo, a diferença foi de apenas um voto. A candidata Adriana Crivelli Biffe (MDB) obteve 1.289 votos (50,02% dos votos válidos). Já seu adversário, Gustavo Matheus Giacomelli (PSDB), obteve 1.288 votos, 49,98%.

Apenas os dois candidatos disputaram ao cargo do executivo, na pequena cidade com pouco mais de 3,7 mil habitantes e 2.903 eleitores.