UOL Notícias Empregos

14/01/2008 - 09h10

Emprego na indústria cresce 3,9%, maior taxa desde 2004

[selo]
Da redação
Em São Paulo
O emprego na indústria registrou crescimento de 3,9% em novembro de 2007, em relação a novembro de 2006 -- 17ª taxa positiva consecutiva, e a mais elevada desde os 4,1% de dezembro de 2004.

Nas comparações contra iguais períodos do ano anterior, o número de pessoas ocupadas sustentou resultados positivos tanto no indicador mensal, que cresce desde julho de 2006, como no acumulado no ano (2,1%), que aponta até novembro resultado superior ao fechamento de 2004 (1,8%), ano em que a produção cresceu 8,3%.

No entanto, a folha de pagamento real dos trabalhadores da indústria recuou 3,5% na passagem de outubro para novembro, interrompendo seqüência de cinco taxas positivas, período em que acumulou expansão de 4,2%.

Setorialmente, as principais contribuições vieram de alimentos e bebidas (4,8%), meios de transporte (11,8%), máquinas e equipamentos (10,3%) e máquinas e aparelhos eletroeletrônicos e de comunicações (12,1%). Entre os ramos com queda no emprego, calçados e artigos de couro (-8,7%) e madeira (-5,8%) exerceram as influências negativas mais significativas.

Regionalmente, ainda nessa comparação, sobressaíram-se os aumentos de São Paulo (6,5%), que representa cerca de 37% do pessoal ocupado na indústria, região Norte e Centro-Oeste (4,3%), Paraná (4,6%) e Minas Gerais (3,4%).

Em São Paulo, o emprego aumentou em 13 ramos, com máquinas e aparelhos eletroeletrônicos e de comunicações (19,5%), meios de transporte (10,4%) e alimentos e bebidas (7,4%), exercendo os impactos positivos mais relevantes.


As informações são do IBGE

Compartilhe:

    Encontre vagas de emprego na sua Área

    Concursos Previstos

    As mais lidas

    Hospedagem: UOL Host