UOL Notícias Empregos

24/09/2008 - 14h00

Brasil é líder mundial na reciclagem de latas, diz OIT; setor emprega 500 mil

Da Redação
Em São Paulo
  • "Lixólogo" é profissão do futuro, diz professor
  • Concursos reúnem mais de mil vagas na área

  • Atualizada às 17h01

    O Brasil é o líder mundial na reciclagem de latas de alumínio, setor que emprega cerca de 170 mil brasileiros. Todo o campo da reciclagem e o gerenciamento de dejetos gera cerca de 500 mil postos de trabalho no país. Os dados são do relatório "Empregos Verdes: Trabalho Decente em um mundo sustentável e com baixas emissões de carbono", divulgado nesta quarta (24) pela OIT (Organização Internacional do Trabalho).

    Nas próximas décadas, o estudo diz que os investimentos em energias alternativas deve criar mais de 20 milhões de "empregos verdes" -- em biocombustíveis, são 12 milhões.

    Empregos verdes são postos de trabalho que reduzem o impacto ambiental das empresas e do setor econômico até níveis sustentáveis.

    Reciclagem
    Em 2006, foram recolhidas no país cerca de 10,3 bilhões de latas de alumínio. Cerca de 96% das embalagens desse tipo são recicladas no Brasil. Segundo dados de 2005, havia quase 2.400 organizações que atuavam na reciclagem e no comércio de dejetos metálicos -- na maioria dos casos, são empresas pequenas ou microempresas.

    O mesmo relatório diz que a reciclagem está incluída em áreas em que os postos de emprego gerados podem ser "sujos, perigosos e difíceis", mas aponta o Brasil como pioneiro "na melhoria dos empregos relacionados com a reciclagem".

    Os principais problemas são os baixos salários, insegurança nos contratos de trabalho e exposição a materiais perigosos, que vêm sendo solucionados no país com a formação, em nível nacional, de cerca de 500 cooperativas, envolvendo 60 mil de catadores de lixo. No Brasil, 90% do material reciclável é recuperado por esses profissionais.

    O estudo aponta também que o país tem altas taxas de reciclagem em outros produtos: são recicladas 49% das latas de aço, 48% dos plásticos PET, 46% das embalagens de vidro, 39% dos pneus e 33% do papel.

    Efeitos negativos
    A pesquisa diz que o processo de mudanças climáticas continuará tendo efeitos negativos sobre alguns trabalhadores, em especial os que trabalham com agricultura e do turismo.

    O relatório afirma ainda que são criados poucos empregos verdes para os mais vulneráveis, ou seja os cerca de 1,3 bilhão de trabalhadores pobres (43% da força de trabalho mundial) do mundo.
    Empresas buscam gestores ambientais
    Mais de 1,6 mi trabalham em cooperativas e associações no Brasil
    Energia alimenta campo de trabalho para engenheiros
    Alemanha pode eliminar empregos para salvar o clima
    Advogados participam da implantação de projetos ambientais
    Químico ambiental dá soluções para danos à natureza
    Grupo forma cooperativa para reciclar óleo de cozinha em SP

    Compartilhe:

      Encontre vagas de emprego na sua Área

      Concursos Previstos

      As mais lidas

      Hospedagem: UOL Host