UOL Notícias Notícias
 

51. Funcionário preso do Senado recebeu salário por 5 anos

Fernando Rodrigues
Colunista do UOL, Em Brasília
Para enviar e-mails para os personagens envolvidos, passe o mouse sobre o nome e clique para acessar o endereço eletronico de cada um.
Mais
Blog do Fernando
Poder e Política

Data de Divulgação

07.05.2009

O escândalo

O jornal "O Estado de S. Paulo" (aqui) noticiou que um funcionário do Senado, João Paulo Esteves, recebeu salário mesmo estando preso. Sem aparecer no Congresso, João tinha seu ponto assinado pelo seu irmão, Sílvio Esteves ou sua presença era atestada Maria Socorro Rodrigues, chefe do gabinete do ex-senador Joel de Hollanda (PE), na época do PFL, hoje DEM.

Sílvio Esteves foi denunciado pelo Ministério Público por improbidade administrativa e pode ser condenado a devolver R$ 212 mil aos cofres públicos. O valor é equivalente aos salários e gratificações recebidas por ele desde que seu irmão foi preso, em 1991, até 1996.

O caso é uma demonstração de falta de controle gerencial dentro do Senado, que não conseguiu detectar o problema. A inexistência de mecanismos de controle dentro do Congresso é a razão principal para tantos delitos serem cometidos em série.

O que aconteceu?

Nada

Acompanhe os escândalos

Siga UOL Notícias

Tempo

No Brasil
No exterior

Trânsito

Cotações

  • Dólar comercial

    17h00

    0,24
    3,734
    Outras moedas
  • Bovespa

    18h19

    0,36
    94.393,07
    Outras bolsas
  • Hospedagem: UOL Host