UOL Notícias Notícias
 

107.Câmara pagou gastos de deputados com "festa de Natal"

Fernando Rodrigues
Colunista do UOL, Em Brasília
Para enviar e-mails para os personagens envolvidos, passe o mouse sobre o nome e clique para acessar o endereço eletronico de cada um.
Mais
Blog do Fernando
Poder e Política

Data de Divulgação

29.dez.2009

O escândalo

Reportagem publicada pela Folha, no dia 29.nov.2009, mostra que a Câmara dos Deputados bancou despesas irregulares de deputados em festas, restaurantes, confraternizações de fim de ano e gastos em lojas especializadas em vinhos, cestas de Natal e chocolates.


As informações, referentes ao ano de 2008, foram obtidas em documentos sigilosos,entregues à Folha pela Câmara após ação judical no STF (Supremo Tribunal Federal).

O deputado Paulo Roberto Pereira (PTB-RS) passou o Natal de 2008 em um dos principais pontos turísticos do Centro-Oeste, a cidade histórica de Pirenópolis (GO).
A conta ficou em R$ 2.320, relativa ao aluguel de dois apartamentos. Ele foi ressarcido integralmente pela Câmara.


O deputado Takayama Takayama realizou no seu Estado uma festa de fim de ano que teve a organização da Porcheta Calda Buffet & Eventos. A conta, de R$ 1.400, também foi parar na Câmara. O deputado afirmou que desconhecia o fato de que a nota havia sido apresentada e que irá devolver o dinheiro.


Quem também usou a verba para confraternização de fim de ano foi o deputado José Mentor (PT-SP), que cobrou da Câmara nota de R$ 1.100 de uma churrascaria de São Paulo, onde disse ter se reunido com assessores e colaboradores. "

O deputado Augusto Farias (PTB-AL) cobrou R$ 842 de reembolso de conta do restaurante de comida peruana Wanchako, em Maceió, no dia 29 de dezembro, sete dias depois de o Congresso ter entrado oficialmente em recesso. "Se a Câmara pagou, eu não tenho que lhe dar satisfação", disse Farias.


Os deputados João Carlos Bacelar (PR-BA) e Jofran Frejat (PR-DF) fizeram uso da verba na Scotch House, uma loja de Brasília especializada em vinhos, outras bebidas e cestas de Natal.
 Bacelar obteve reembolso de R$ 5.500 por duas notas do dia 23 de dezembro. Ele afirma que a loja forneceu o bufê para uma confraternização com prefeitos eleitos de seu partido. Não informou o endereço da festa, limitando-se a dizer que foi em uma "casa privada". A loja diz não ter serviço de bufê. Frejat apresentou à Câmara nota de R$ 144 da Scotch House, com data de 26 de dezembro. Também foi reembolsado por gastos de R$ 600 na Casa de Biscoitos Mineiros, de doces e salgados, em 27 de dezembro.


O gabinete do deputado Valdir Colatto (PMDB-SC) cobrou da Câmara reembolso de R$ 1.200 em dezembro por despesas na loja de chocolates Cacau Show.


O deputado Pedro Novais (PMDB), do Maranhão, apresentou notas de gastos no Rio entre os dias 24 e 30 de dezembro em estabelecimentos como Joana e Quitéria Delicatessen (R$ 52), Restaurante Gero (R$ 655) e Wine Ipanema (R$ 236).

O que aconteceu?

As informações obtidas pela Folha são referente ao de 2008. Em 2009, vários escândalos relacionados à verba indenizatória vieram a tona. Os escândalos levaram a Câmara a lançar um pacote de medidas moralizadoras, entre elas a unificação de todos os benefícios recebidos pelos deputados em uma cota única, de 30 mil reais. Nenhum deputado, no entanto, foi punido ou devolveu o dinheiro.

Acompanhe os escândalos

Siga UOL Notícias

Tempo

No Brasil
No exterior

Trânsito

Cotações

  • Dólar comercial

    17h00

    0,18
    4,047
    Outras moedas
  • Bovespa

    17h21

    -0,48
    93.910,03
    Outras bolsas
  • Hospedagem: UOL Host