UOL Notícias Notícias
 

95. Marco Maciel tinha funcionário presidiário recebendo salário

Fernando Rodrigues
Colunista do UOL, Em Brasília
Para enviar e-mails para os personagens envolvidos, passe o mouse sobre o nome e clique para acessar o endereço eletronico de cada um.
Mais
Blog do Fernando
Poder e Política

Data de Divulgação

07.05 e 16.10.2009

O escândalo

O senador Marco Maciel (DEM-PE) mantinha um funcionário recebendo salário enquanto estava preso.

A notícia foi divulgada pelo Blog do Pannunzio (aqui) em 16 de setembro. Depois, o próprio jornalista mostrou que o caso já havia sido noticiado pelo Estadão no dia 7 de maio ( e aqui).

A denúncia só veio à tona devido à discussão entre Renan Calheiros (PMDB-AL) e Arthur Virgílio (PSDB-AM) no plenário do Senado em 15 de setembro (aqui). Ambos haviam mantido funcionários fantasmas em seu gabinete (sobre o assunto, veja os escândalos 12 e 66) e, por isso, trocavam acusações. Na discussão, Renan disse que havia um funcionário do senado recebendo enquanto estava preso, mas não revelou o nome do senador que o empregava.

Condenado por roubo seguido de morte em 1991 e preso na Papuda, em Brasília, o funcionário João Paulo Esteves continuou a receber seu salário por cinco anos. Segundo o Estadão, a folha de João Paulo era falsificada pelo irmão Sílvio Esteves, também servidor do Congresso, até 1996.

O que aconteceu?

Sílvio Esteves foi denunciado pelo Ministério Público por improbidade administrativa.

Maria do Socorro Rodrigues, chefe de gabinete de Maciel à época, foi condenada a pagar multa.

Nada aconteceu com o senador.

Acompanhe os escândalos

Siga UOL Notícias

Tempo

No Brasil
No exterior

Trânsito

Cotações

  • Dólar comercial

    17h00

    0,24
    3,734
    Outras moedas
  • Bovespa

    18h19

    0,36
    94.393,07
    Outras bolsas
  • Hospedagem: UOL Host