UOL Notícias Notícias
 
18/08/2010 - 20h32 / Atualizada 18/08/2010 - 20h39

Dois meses após enchentes, governo federal fiscaliza gastos e garante R$ 750 mi para AL

Carlos Madeiro
Especial para o UOL Notícias
Em Maceió
  • Funcionários e voluntários de escola estadual trabalham em limpeza em Rio Largo (Alagoas)

    Funcionários e voluntários de escola estadual trabalham em limpeza em Rio Largo (Alagoas)

Dois meses após as enchentes que atingiram 28 municípios de Alagoas - 15 deles em calamidade pública -, a ministra do Desenvolvimento Social, Márcia Lopes, visitou o Estado nesta quarta-feira (18) e anunciou que o governo federal deve investir R$ 750 milhões para reconstruir as cidades atingidas.

“Nós temos essa meta de destinar R$ 750 milhões para Alagoas. Desse total, R$ 272 milhões já foram transferidos. Faremos um balanço com o comitê da crise do Estado e vamos avaliar como estão sendo realizados os gastos”, afirmou a ministra, que veio chefiando uma missão para fiscalizar o andamento das obras de reconstrução dos locais atingidos.

Segundo o governo federal, os recursos serão destinados para os setores de saúde, educação e assistência social, além da reconstrução de pontes, rodovias, vias urbanas e sistemas de abastecimento.

Pela manhã, a comissão do governo federal visitou a cidade de Branquinha, a 62 km de Maceió, onde todos os prédios públicos foram destruídos pela cheia do Rio Mundaú, entre os dias 18 e 19 de junho. A ministra visitou os acampamentos improvisados com barracas, conversou com a prefeita, Renanta Moraes, e moradores que perderam tudo e ainda fez promessas de celeridade na construção das casas.

À tarde, a ministra se reuniu com autoridades do Estado e dos municípios atingidos. Na ocasião, foi apresentado um balanço das atividades desenvolvidas no Estado até o momento e como foram gastos os recursos enviados pelo governo federal.

Segundo o coordenador do programa da Reconstrução de Alagoas, Luiz Otávio Gomes, os recursos serão gastos com total fiscalização dos órgãos fiscalizadores e seguindo o cronograma pré-definido com o governo federal. “Até o dia 30 de agosto teremos o início da construção de 4.000 casas. Em setembro serão mais 9.500, e em outubro teremos as 2.500 casas restantes”, disse.

Gomes informou que, até esta quarta-feira, foram aprovados os projetos de construção de 683 casas para três dos 19 municípios que terão construções: Rio Largo, Cajueiro e Quebrangulo. Nesta quinta-feira devem ser analisados e aprovados os projetos dos municípios de Viçosa e Murici, que prevêem a construção 2.328 casas.

Mais recursos para AL e PE

A ministra aproveitou a visita para anunciar o destino de mais R$ 48,1 milhões, na área social, para as vítimas das enchentes em Alagoas e Pernambuco. Segundo Márcia Lopes, dinheiro é para construção de 54 cozinhas comunitárias para os acampamentos (24 em Pernambuco e 30 em Alagoas), compra de cestas de alimentos, assistência às vítimas, restabelecimento de serviços essenciais e reconstrução de equipamentos da rede de assistência social.

Desse total, o ministério deve investir R$ 20 milhões para garantir a reconstrução da rede assistencial dos municípios atingidos. Ao todo, 92 unidades públicas devem ser reconstruídas nos dois Estados.

Números

Segundo dados das defesas civis, as enchentes deixaram 27 mortos e 29 pessoas desaparecidas em Alagoas. Além deles, 27.757 pessoas ficaram desabrigadas e 44.504, desalojadas. Em Pernambuco, foram 26.966 pessoas sem casa e 20 mortes.

Siga UOL Notícias

Tempo

No Brasil
No exterior

Trânsito

Cotações

  • Dólar comercial

    16h59

    -0,73
    3,144
    Outras moedas
  • Bovespa

    17h21

    -1,00
    65.010,57
    Outras bolsas
  • Hospedagem: UOL Host