UOL Notícias
 
 

PNAD

Pesquisa Nacional
por Amostra de Domicílios

Pesquisa feita em domicílios do país para coletar dados como migração,
educação, rendimento, trabalho infantil e fecundidade, entre outros

  • Imagem: PNAD
08/09/2010 - 10h00

Homens concentram 80% dos maiores rendimentos do país

Carlos Madeiro
Especial para o UOL Notícias
Em Maceió

Apesar do ingresso cada vez mais frequente das mulheres no mercado de trabalho, a diferença de rendimento entre os trabalhadores do sexo masculino e feminino continua no país. Segundo a Pnad 2009 (Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios), do IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatísticas), os homens representam 80% do total dos brasileiros com renda superior a 20 salários mínimos mensais –à época o equivalente a R$ 9.300,00.

Salários médio de mulheres ocupadas, segundo a Pnad

2004 R$ 613
2005 R$ 646
2006 R$ 705
2007 R$ 735
2008 R$ 758
2009 R$ 786

Os dados apontam que de 624 mil pessoas ocupadas que recebiam os melhores rendimentos no país, 503 mil eram homens e apenas 121 mil, mulheres. Elas recebiam, em média, 67,1% do que recebiam eles: R$ 786,00, enquanto os homens tinham rendimento médio de R$ 1.171,00. Somando os valores dos dois sexos, a média nacional de rendimento ficou em R$ 1.006,00. O levantamento exclui as pessoas que informaram não ter rendimento naquele ano.

A diferença de renda entre homens e mulheres fica mais evidente quando comparada a proporção dos trabalhadores, entre os dois sexos, que recebem mais de 20 salários mínimos. Enquanto 0,9% do total de homens com renda ganhavam mais de R$ 9.300,00 por mês no ano passado, apenas 0,3% delas conseguiram a mesma condição financeira.

A pesquisa do IBGE aponta ainda que 34,9% das mulheres ocupadas, com idade igual ou acima de 10 anos, recebiam até um salário mínimo –9,6 pontos percentuais a menos que a média dos homens. No Nordeste, essa média chega a 50%, enquanto no Sul o número não passa de 24%.

Salários médio de homens ocupados, segundo a Pnad

2004 R$ 964
2005 R$ 1.000
2006 R$ 1.076
2007 R$ 1.111
2008 R$ 1.142
2009 R$ 1.171

Levando em conta todas as mulheres em idade ativa, a partir de 10 anos, a Pnad 2009 revela que 77,7% das mulheres têm renda que não superam dois salários mínimos, chegando à marca de 88% no Nordeste. No sexo masculino, a média nacional foi de 64,4%.

Entre as unidades federativas do país, o menor salário das mulheres era pago no Piauí (R$ 541,00), e o maior no Distrito Federal (R$ 1.879,00). Já entre o sexo masculino, a menor média era de R$ 686,00, no Piauí, e a maior de R$ 2.239,00, no Distrito Federal.

Além de ganharem menos, as mulheres têm o dobro de participação entre as pessoas sem renda no Brasil. Enquanto 12,1% delas não tinham nenhum rendimento em 2009, entre eles a média era de apenas 6,4%.

Entretanto, levando-se em conta os dados da Pnad dos cinco anos anteriores, percebe-se que a diferença salarial vem caindo ano a ano. Em 2004, as mulheres com renda ganhavam, em média, R$ 613,00. Em meia década, o valor saltou 28%. Já entre os homens com renda, no mesmo período, os salários tiveram alta de 21% –em 2004 era de R$ 964,00. Nesse mesmo período, o rendimento médio do brasileiro cresceu 25%.

Leia mais

Siga UOL Notícias

Tempo

No Brasil
No exterior

Trânsito

Cotações

  • Dólar comercial

    16h59

    0,11
    3,339
    Outras moedas
  • Bovespa

    17h20

    -0,30
    61.087,14
    Outras bolsas
  • Hospedagem: UOL Host