UOL Notícias Notícias
 

01/03/2010 - 18h15

Lula chega ao Chile para encontro com Bachellet

Do UOL Notícias*
Em São Paulo

Atualizada às 18h35

O presidente Luiz Inácio Lula da Silva chegou nesta segunda-feira (1) ao Chile, país atingido por um forte terremoto que deixou mais de 700 mortos, para se reunir com a presidente Michelle Bachelet e acertar a ajuda ao país. Lula já está reunido com Bachellet e deve ficar no país apenas por algumas horas.

Lula, que viajou ao Uruguai para a posse do presidente José Mujica, vai se encontrar com Bachelet no aeroporto de Santiago e retorna ao Brasil ainda nesta segunda-feira.

O Brasil deverá cooperar com o envio de profissionais de saúde, hospitais de campanha e estruturas para montar pontes móveis para atender as vítimas do terremoto de 8,8 graus na escla Richter, ocorrido no último sábado.

Bachelet concedeu uma entrevista coletiva no final da tarde de hoje (1º) e confirmou que o número de mortos deve aumentar. Oficialmente o governo chileno confirma que o terremoto matou pelo menos 723 pessoas, mas ainda há desaparecidos e feridos.

Em seu programa semanal de rádio nesta segunda, o presidente disse que o governo brasileiro vai fazer tudo o que estiver ao seu alcance "para ser solidário ao Chile".

Veja os depoimentos de brasileiros presos no Chile

Procuramos a Embaixada, mas tivemos dificuldades para ser atendidos - o Consulado também não nos deu suporte. Estamos aguardando orientação de uma diplomata que foi muito gentil e atenciosa. A situação do aeroporto de Santiago é catastrófica. (Ana Soares, de Santiago, Chile)

"Vou ao Chile porque a coisa é mais grave do que a gente sabia até ontem (domingo). O tsunami causou mais estragos do que as pessoas imaginavam", afirmou o presidente ainda na base aérea de Montevidéu.

Na madrugada de sábado, o primeiro e mais forte de uma série de tremores, de magnitude 8,8, devastou a região da cidade de Concepción, distante 400 km de Santiago. Grandes ondas que se seguiram ao terremoto causaram destruição em regiões costeiras e o número de mortos, que ultrapassou 700, deve subir.

Desde ontem, por determinação de um decreto de Bachelet, está em vigor o toque de recolher na região de Concepción, segunda maior cidade do Chile, a 400 quilômetros de Santiago. O local que tem cerca de 500 mil habitantes foi um dos mais atingidos pelo sismo.

De acordo com o governo chileno, aproximadamente 1,5 milhão de casas foram danificadas e 2 milhões de pessoas foram afetadas pelo tremor. Há pessoas que estão nas ruas porque perderam suas casas. O medo também afasta alguns chilenos de suas casas, pois os chamados tremores secundários continuam ocorrendo.

* Com informações da BBC Brasil e da Agência Brasil

Siga UOL Notícias

Tempo

No Brasil
No exterior

Trânsito

Cotações

  • Dólar comercial

    17h00

    -0,22
    3,175
    Outras moedas
  • Bovespa

    17h23

    1,12
    65.403,25
    Outras bolsas
  • Hospedagem: UOL Host