UOL Notícias Notícias
 

02/03/2010 - 12h44

Chile mobiliza 14.000 militares na área da tragédia

Da AFP

A presidente Michelle Bachelet informou que nesta terça-feira (2) estarão mobilizados 14.000 militares nas áreas mais críticas após o terremoto do último sábado, que ficarão responsáveis pela distribuição de ajuda e a prevenção de saques.

"Em virtude do estado de exceção da catástrofe, entre os últimos dois dias e o dia de hoje, o Exército tem 11.850 homens e a Marinha 2.131 nas regiões de Maule e Biobío", afirmou Bachelet, em referência às áreas mais afetadas pelo terremoto, que deixou até agora 723 mortos.

A presidente destacou ainda que o governo não permitirá os saques.

"Entendemos as angústias urgentes das pessoas, mas sabemos que há ações delituosas, e isto não vamos aceitar", disse.

"Não é aceitável que os bombeiros tenham sido obrigados a desviar seus recursos para atender, na segunda-feira, um incêndio provocado na cidade de Concepción, nem que as pessoas tenham que organizar mecanismos de autodefesa para cuidar do pouco que restou após o terremoto", completou a presidente.

Desde domingo várias localidades foram cenários de saques e ações violentas, enquanto os habitantes se queixam da falta de ajuda humanitária.

Custo de US$ 45 milhões

A seguradora britânica RSA anunciou nesta terça-feira que as reclamações ligadas ao terremoto de sábado no Chile devem custar US$ 45 milhões.

"O terremoto de sábado causou grandes danos em todo o Chile e, apesar da evolução da situação, a RSA calcula um custo estimado de quase 30 milhões de libras", afirma a seguradora em um comunicado.

A empresa destaca que é líder entre os seguros gerais no Chile com a filial RSA Chile.

Siga UOL Notícias

Tempo

No Brasil
No exterior

Trânsito

Cotações

  • Dólar comercial

    16h59

    -0,54
    3,265
    Outras moedas
  • Bovespa

    17h20

    1,36
    64.085,41
    Outras bolsas
  • Hospedagem: UOL Host