UOL Notícias Notícias
 

02/03/2010 - 11h42

Chilenos reclamam da falta de acesso aos serviços básicos; 165 mil famílias ainda estão sem luz

Do UOL Notícias*
Em São Paulo
  • Cratera é vista em estrada de Pulluhue, a 320 km de Santiago

    Cratera é vista em estrada de Pulluhue, a 320 km de Santiago

Atualizada às 13h35

Depois do terremoto que atingiu o país no último sábado (27), os chilenos agora aguardam o restabelecimento dos serviços básicos, interrompidos pelo tremor de magnitude 8,8 que matou mais de 723 pessoas no país. As vítimas do terremoto reclamam da falta de água, energia, gás e também de alimentos.

De acordo com o último relatório da companhia de energia chilena Chilectra, 89% dos consumidores já estão com o sistema elétrico restaurado. Ainda falta restabelecer a luz de 165 mil famílias. Em nota oficial, a companhia afirmou que espera resolver o problema dentro das próximas horas.

O ministro da Saúde, Alvaro Erazo, confirmou que existem 4.000 leitos inutilizáveis na rede pública do país. As instalações de nove hospitais foram seriamente danificadas com o terremoto e todos eles estão sem condições de operar.

Erazo disse que os hospitais de campanha enviados por outros países, como do Brasil, serão instalados nos locais mais problemáticos. Talca e Concepción, duas cidades bastante atingidas pelo terremoto, já possuem novos espaços para atender feridos.

Ontem o Ministério da Educação anunciou a entrega de três refeições diárias para cerca de 80 mil pessoas em todo país. A ideia é chegar a 600 mil pessoas e evitar mais saques a supermercados ou pontos de venda de comida.

Sobre as ondas de saque em Concepción, uma das cidades mais atingidas pelo terremoto, a presidente chilena, Michelle Bachelet, afirmou que a situação está "sob controle". Milhares de militares foram enviados para conter saques e a criminalidade naquela região.

As empresas telefônicas do país liberaram as chamadas para as áreas mais afetadas pelo terremoto. A Telefonica  liberou de tarifas as chamadas feitas até às 23h59 e a Telmex anunciou que nos próximos 30 dias todas as ligações interurbanas (com o uso do código 171) feitas ou com destino às áreas mais prejudicadas não tem custo. Da mesma forma funcionam as chamadas internacionais que são direcionados para a área do desastre.

As chamadas gratuitas só são válidas durante os cinco primeiros minutos de contato e somente quando a conexão é feita com telefones das regiões 7 e 8.

A Movistar, outra empresa de telefonia do país, liberou as chamadas de longa distância nacional de e para a região afetada através da operadora 188. Este benefício permanece até quarta-feira (4)

Hillary no Chile

A secretária de Estado norte-americana, Hillary Clinton, se reúne na manhã desta terça-feira com a presidente Michelle Bachelet. "Trouemos alguns telefones por satélite", anunciou Hillary logo após sua chegada à capital Santiago. 

Hillary deve se encontrar também com o presidente eleito do Chile, Sebastián Piñera. 

No final da tarde, a secretária deve chegar ao Brasil, onde se encontra com o presidente Luiz Inácio Lula da Silva. 

*Com informações de agências internacionais

Siga UOL Notícias

Tempo

No Brasil
No exterior

Trânsito

Cotações

  • Dólar comercial

    16h59

    0,48
    3,144
    Outras moedas
  • Bovespa

    17h21

    -0,53
    75.604,34
    Outras bolsas
  • Hospedagem: UOL Host