UOL Notícias Notícias
 

03/03/2010 - 15h08

Chilenos passam por dificuldades em Guarulhos enquanto tentam embarcar para o país natal

Da Agência Brasil
José Donizete e Daniel Mello*
Em São Paulo

Câmera de boate capta reação ao início do terremoto no Chile

Preocupada com a filha que está sozinha em Concepción, a chilena Cecilia Lavña teme não poder embarcar logo para o país natal, porque a lista de espera dos que tentam voltar para casa dá prioridade a gestantes e idosos. “Concepción é uma das partes mais afetadas [pelo terremoto], não tem água, luz e há saques”, disse.

Cerca de 800 pessoas morreram em decorrência do terremoto de 8,8 graus na escala Richter, que atingiu o país no último sábado (27). Por causa do desastre, o aeroporto da capital, Santiago, foi fechado para operações comerciais e só começou a retomar as atividades ontem (2).

A professora chilena Daniela Miranda diz que está dormindo desde domingo (28) no Aeroporto Internacional de Guarulhos (SP). Ela conta que procurou o Consulado do Chile e a empresa aérea LAN, mas não recebeu nenhum tipo de ajuda. Os parentes dela em Santiago também procuraram a companhia, porém, não foi oferecido auxílio. “Disseram que não podem arcar com nenhum gasto, que não dão dinheiro nem alojamento nem nada.”

Daniela disse que a única solidariedade que recebeu partiu de chilenos residentes no Brasil, que levaram comida para os conterrâneos no aeroporto.

Vinda do Quênia, a enfermeira Claura Gonzales disse que tem apenas US$ 50 para pagar todas as suas despesas enquanto não consegue embarcar para o Chile. Ela reclama da falta de assistência e informações por parte da companhia aérea LAN e do consulado chileno. “Eu entendo que é um desastre natural, mas seria bom um pouco de misericórdia.”

A Agência Brasil entrou em contato com a LAN que afirmou que nenhuma companhia aérea dá suporte a passageiros em casos de acidentes causados pela natureza. Mesmo assim, a empresa alega ter distribuído manta e água.

A reportagem está tentando entrar em contato com o consulado.

A Empresa Brasileira de Infraestrutura Aeroportuária (Infraero), com a ajuda do Fundo de Solidariedade e Desenvolvimento Social e Cultural do Estado de São Paulo (Fussesp) disponibilizou um espaço no Aeroporto Internacional de Guarulhos para ajudar os chilenos que aguardam voos para o país. No local, serão distribuídos aos chilenos cerca de 500 kits de alimentação, além de 2 mil copos d'água e 500 cobertores.

A previsão é que cerca de 800 pessoas embarquem para o Chile em mais dois voos previstos para hoje, às 15h e às 16h25.

 

*Colaborou Maria Eugênia Castilho

A matéria foi alterada para acréscimo de informações
 

Siga UOL Notícias

Tempo

No Brasil
No exterior

Trânsito

Cotações

  • Dólar comercial

    16h59

    -0,54
    3,265
    Outras moedas
  • Bovespa

    17h20

    1,36
    64.085,41
    Outras bolsas
  • Hospedagem: UOL Host