Publicidade



:
China e Japão, cruzando a fronteira
Entrosada, defesa do Brasil não pode falhar contra o Paraguai, diz Parreira
Lucro da Eletrobrás cai 71% e fica em R$ 323 milhões em 2003
MSN reformula portal para brigar com Google e Yahoo!
'Scooby-Doo 2' lidera bilheterias dos EUA no fim de semana
Índia de Roraima vai à OEA contra governo brasileiro

Índice
Envie esta
notícia por email

Morre o Nobel de medicina argentino César Milstein
16h27 - 25/03/2002






LONDRES, 25 mar (AFP) - O cientista argentino-britânico César Milstein, prêmio Nobel de medicina em 1984 por suas pesquisas sobre a estrutura dos anticorpos, morreu domingo na Inglaterra aos 74 anos, anunciou esta segunda-feira o laboratório de biologia molecular da Universidade de Cambridge (centro).

"César Milstein morreu domingo 24 de março pela manhã devido a uma doença cardíaca contra a qual lutou valentemente durante longos anos", informou o laboratório através de um comunicado publicado em sua página de internet.

"O professor Milstein dedicou a maior parte de sua carreira de pesquisador ao estudo da estrutura dos anticorpos monoclonais", acrescentou o comunicado.

Em 1975, com o alemão Georges Köhler, criou uma técnica para a produção de anticorpos que "desembocou em um aumento considerável da exploração de anticorpos por parte da ciência e da medicina", precisou a nota.

Graças a esta descoberta, Milstein recebeu em 1984 o prêmio Nobel de Medicina junto com outros dois cientistas, Köhler e o dinamarquês Niels Jerne.

"Cultivando uma certa distância em relação às suas próprias conquistas, o professor Milstein foi fonte de inspiração para numerosos pesquisadores em seu âmbito e dedicou boa parte de seu tempo a colaborar com pesquisadores que trabalhassem em países menos desenvolvidos", frisou a mesma fonte.

César Milstein, considerado como um filho prodígio na Argentina mas que o "Who's Who International" apresenta como um biólogo molecular "britânico", nasceu a 8 de outubro de 1927 em Bahía Blanca (Argentina) e iniciou sua carreira de pesquisador na Universidade de Buenos Aires.

Em 1958, continuou suas pesquisas na Universidade de Cambridge graças a uma bolsa do British Council. Após concluir seu doutorado, regressou à Argentina mas em 1963 decidiu voltar à Universidade de Cambridge devido à instabilidade política que imperava em seu país.

Então abandonou o estudo das enzimas, que abordou em seu doutorado, para se dedicar aos anticorpos.

Índice
LEIA SÓ
NOTÍCIAS DE:
Folha Online
UOL News
UOL Esporte
UOL Economia
UOL Tablóide
Mundo Digital
Veja Online
Vestibuol
UOL Diversão e Arte
UOL Música
Exame
BBC
The New York Times
Cox News Service
El País
Financial Times
Le Monde
Hearst Newspapers
The Boston Globe
TNYT News Service
USA Today
Consultor Jurídico
AFP Internacionais
AFP Negócios
AFP Esporte
AFP Diversão
Reuters Geral
Reuters Negócios
Reuters Esporte
Reuters Diversão
Lusa
UOL Rádios e TVs
UOL Corpo e Saúde
Notícias sobre o UOL
Todos os direitos de reprodução e representação reservados. 2001 Agence France-Presse. Todas as informações
reproduzidas são protegidas por direitos de propriedade intelectual detidos pela AFP. Por conseguinte, nenhuma
destas informações pode ser reproduzida, modificada, armazenada, redifundida, traduzida, explorada comercialmente
ou reutilizada sem o consentimento prévio por escrito da AFP.