Publicidade



:
China e Japão, cruzando a fronteira
Entrosada, defesa do Brasil não pode falhar contra o Paraguai, diz Parreira
Lucro da Eletrobrás cai 71% e fica em R$ 323 milhões em 2003
MSN reformula portal para brigar com Google e Yahoo!
'Scooby-Doo 2' lidera bilheterias dos EUA no fim de semana
Índia de Roraima vai à OEA contra governo brasileiro

Envie esta
notícia por email
Índice

Marmota "Phil" prevê mais seis semanas de inverno nos EUA
14h45 - 02/02/2004


Punxutawney (EUA), 2 fev (EFE).- Os americanos aborrecidos com as baixas temperaturas do último mês não têm o que comemorar, pelo menos de acordo com a marmota "Phil", que previu mais seis semanas de inverno.

O meteorologista mais famoso dos Estados Unidos -ainda que não seja o mais certeiro- foi acordado hoje enquanto hibernava em seu refúgio, na pequena cidade de Punxutawney (Pensilvânia).

Seguindo a tradição, que procede da cultura popular alemã, os presentes puderam ver a sombra do animal recortada sobre o terreno.

A tradição diz que isso significa mais seis semanas de inverno, o que não foi exatamente um presente para os presentes, que suportavam 8 graus centígrados abaixo de zero, mas no fundo também não foi suficiente para acabar com a autêntica festa em que se converteu esta celebração anual.

A cerimônia, voltou a reunir nesta pequena cidade milhares de pessoas, tanto fanáticos da tradição como curiosos, nesta 118ª edição do que nos Estados Unidos se conhece em escala nacional como "O dia da marmota".

Índice
LEIA SÓ
NOTÍCIAS DE:
Folha Online
UOL News
UOL Esporte
UOL Economia
UOL Tablóide
Mundo Digital
Veja Online
Vestibuol
UOL Diversão e Arte
UOL Música
Exame
BBC
The New York Times
Cox News Service
El País
Financial Times
Le Monde
Hearst Newspapers
The Boston Globe
TNYT News Service
USA Today
Consultor Jurídico
AFP Internacionais
AFP Negócios
AFP Esporte
AFP Diversão
Reuters Geral
Reuters Negócios
Reuters Esporte
Reuters Diversão
Lusa
UOL Rádios e TVs
UOL Corpo e Saúde
Notícias sobre o UOL
"© Agencia Efe". Todos os direitos reservados. É proibido todo tipo de reprodução sem autorização escrita da Agencia Efe.