Publicidade



:
China e Japão, cruzando a fronteira
Entrosada, defesa do Brasil não pode falhar contra o Paraguai, diz Parreira
Lucro da Eletrobrás cai 71% e fica em R$ 323 milhões em 2003
MSN reformula portal para brigar com Google e Yahoo!
'Scooby-Doo 2' lidera bilheterias dos EUA no fim de semana
Índia de Roraima vai à OEA contra governo brasileiro

Envie esta
notícia por email
Índice

Queda de avião mata presidente da Macedônia
09h13 - 26/02/2004


Madri, 26 fev (EFE-Documentação).- O presidente da Macedônia, Boris Trajkovski, de 47 anos, morreu hoje, quinta-feira, na queda do avião no qual viajava perto de Stolac, a cerca de 40 quilômetros da cidade de Mostar, segundo fontes oficiais bósnias.

Trajkovski, proclamado presidente da Macedônia depois de vencer as eleições presidenciais de 14 de novembro de 1999, nasceu em Strumica, Macedônia Central, em 25 de junho de 1956. Formou-se em Direito com 24 anos e se incorporou a uma empresa da construção de Skopje como responsável pelo escritório de litígios.

Em 1992, ingressou no Partido Democrático pela Unidade Nacional Macedônia-Organização Revolucionária Interna da Macedônia (VMRO-DPMNE), e em poucos anos chegou a ser seu principal dirigente.

Depois das eleições legislativas de novembro de 1998, foi nomeado vice-ministro das Relações Exteriores, cargo que ocupou até chegar à Presidência, em novembro de 1999.

Trajkovski venceu seu principal oponente, o social-democrata e ex-comunista Tito Petkovski, no segundo turno das eleições presidenciais, realizadas em 14 de novembro de 1999. Ele assumiu o poder no lugar do "pai" da independência, Kiro Gligorov, que, aos 83 anos, retirou-se da política.

Pouco após completar um ano na Presidência, Trajkovski negociou a paz com os rebeldes do Exército de Libertação Nacional (UCK), que lutavam havia anos pela autonomia da minoria albanesa na Macedônia.

O presidente ameaçou "aniquilar" toda a guerrilha se não pusesse fim a seus ataques na fronteira entre a Macedônia e a Sérvia, e conseguiu um cessar-fogo em 2001 em troca de maiores direitos à minoria albanesa.

Em 31 de março de 2003, como presidente macedônio, assistiu junto a outras autoridades à cerimônia do início da primeira missão militar da União Européia na Macedônia (Concordia), que substituiu as forças da Otan destacadas depois da assinatura dos acordos de paz em agosto de 2001.

O presidente era um ativo membro da Igreja protestante, da qual era ministro. Ele era casado e tinha um casal de filhos.

Índice
LEIA SÓ
NOTÍCIAS DE:
Folha Online
UOL News
UOL Esporte
UOL Economia
UOL Tablóide
Mundo Digital
Veja Online
Vestibuol
UOL Diversão e Arte
UOL Música
Exame
BBC
The New York Times
Cox News Service
El País
Financial Times
Le Monde
Hearst Newspapers
The Boston Globe
TNYT News Service
USA Today
Consultor Jurídico
AFP Internacionais
AFP Negócios
AFP Esporte
AFP Diversão
Reuters Geral
Reuters Negócios
Reuters Esporte
Reuters Diversão
Lusa
UOL Rádios e TVs
UOL Corpo e Saúde
Notícias sobre o UOL
"© Agencia Efe". Todos os direitos reservados. É proibido todo tipo de reprodução sem autorização escrita da Agencia Efe.