Publicidade



:
China e Japão, cruzando a fronteira
Entrosada, defesa do Brasil não pode falhar contra o Paraguai, diz Parreira
Lucro da Eletrobrás cai 71% e fica em R$ 323 milhões em 2003
MSN reformula portal para brigar com Google e Yahoo!
'Scooby-Doo 2' lidera bilheterias dos EUA no fim de semana
Índia de Roraima vai à OEA contra governo brasileiro

Envie esta
notícia por email
Índice

Itamar deixa PMDB e apóia Aécio para disputar governo de Minas
13h03 - 18/06/2002


RIO DE JANEIRO (Reuters) - O governador de Minas Gerais, Itamar Franco, anunciou nesta terça-feira sua saída do PMDB e declarou apoio a uma candidatura do presidente da Câmara dos Deputados, o tucano Aécio Neves, ao governo de Minas Gerais nas eleições gerais de outubro.

Em um curto comunicado divulgado por sua assessoria de imprensa, Itamar, um dos fundadores da antiga legenda MDB e do atual partido, justificou seu ato, dizendo que "as forças que hoje manipulam o PMDB, no país e em Minas, são incompatíveis com os sentimentos e os valores republicanos" por ele defendidos.

Antes mesmo da tumultuada convenção do último fim de semana, que definiu o apoio do PMDB à candidatura do tucano José Serra à Presidência, o governador e ex-presidente da República já se encontrava isolado pelo partido. No último domingo também, o PMDB referendou a candidatura do vice de Itamar, Newton Cardoso, ao governo de Minas, eliminando eventuais esperanças do governador disputar a reeleição.

Embora ele já tivesse anunciado que não disputaria com o vice o direito de disputar a reeleição, sua assessoria na ocasião não descartara a hipótese dele concorrer em outubro caso o partido não escolhesse Newton Cardoso.

Segundo a assessoria do governador, Itamar está em Juiz de Fora e não dará entrevista a respeito de sua decisão.

Na nota, Itamar conclamou Aécio Neves "para assumir conosco a sua candidatura ao governo de Minas Gerais, na luta pela afirmação das melhores tradições e da moderna consciência política dos mineiros".

Ao mesmo tempo em que declara apoio ao tucano Aécio na disputa pelo governo mineiro, na semana passada Itamar manifestara apoio ao petista Luiz Inácio Lula da Silva na corrida presidencial.

IDAS E VINDAS

Esta não é a primeira vez que Itamar deixa o PMDB. A primeira foi em 1986, quando foi preterido pelo partido, que escolheu o próprio Newton Cardoso para disputar o governo mineiro naquele ano.

Na ocasião filiou-se ao PL para disputar a eleição, sendo derrotado por estreita margem de votos.

Voltou ao PMDB apenas em 1997, disputando e vencendo as eleições ao governo do Estado em 1998, para deixar o partido pela segunda vez já 1999.

Sem se filiar a outra legenda, Itamar retornou ao PMDB em 2000 com a intenção de concorrer à sucessão do presidente Fernando Henrique Cardoso, projeto que nunca teve a simpatia da cúpula do partido.



Índice
LEIA SÓ
NOTÍCIAS DE:
Folha Online
UOL News
UOL Esporte
UOL Economia
UOL Tablóide
Mundo Digital
Veja Online
Vestibuol
UOL Diversão e Arte
UOL Música
Exame
BBC
The New York Times
Cox News Service
El País
Financial Times
Le Monde
Hearst Newspapers
The Boston Globe
TNYT News Service
USA Today
Consultor Jurídico
AFP Internacionais
AFP Negócios
AFP Esporte
AFP Diversão
Reuters Geral
Reuters Negócios
Reuters Esporte
Reuters Diversão
Lusa
UOL Rádios e TVs
UOL Corpo e Saúde
Notícias sobre o UOL
Reuters Limited - todos os direitos reservados. O conteúdo Reuters é de propriedade intelectual da Reuters Limited.
Qualquer cópia, republicação ou redistribuição do Conteúdo Reuters, inclusive por armazenamento rápido, enquadramento
ou outros meios semelhantes, estão expressamente proibidas sem o consentimento prévio por escrito da Reuters.
A Reuters não será responsável por quaisquer erros ou atrasos no Conteúdo,
ou por quaisquer medidas tomadas na ocorrência fos fatos ora descritos.