Publicidade



:
China e Japão, cruzando a fronteira
Entrosada, defesa do Brasil não pode falhar contra o Paraguai, diz Parreira
Lucro da Eletrobrás cai 71% e fica em R$ 323 milhões em 2003
MSN reformula portal para brigar com Google e Yahoo!
'Scooby-Doo 2' lidera bilheterias dos EUA no fim de semana
Índia de Roraima vai à OEA contra governo brasileiro

Envie esta
notícia por email
Índice

Experiência sobre 6 graus de separação prova que mundo é pequeno
18h05 - 07/08/2003


Por Maggie Fox

WASHINGTON (Reuters) - O mundo é mesmo pequeno. A idéia de que existem apenas seis graus de separação --apenas um punhado de pessoas entre você e qualquer outro indivíduo no mundo-- também se aplica à Internet, anunciaram pesquisadores na quinta-feira.

Uma experiência na qual internautas foram convidados a encontrar um de 18 desconhecidos usando suas conexões online demonstrou que em média apenas cinco a sete etapas foram necessárias, com a ajuda de amigos e conhecidos.

Os resultados, publicados esta semana pela revista Science, ilustram de que maneira as redes sociais operam e como efetivamente se globalizaram, disse a equipe de pesquisadores da Columbia University.

"A Internet é apenas uma ferramenta para isso. O que está em jogo são na verdade as redes sociais", diz Duncan Watts, que dirigiu o estudo.

As conclusões podem ajudar a nos esclarecer quanto a epidemias, modas culturais, comportamento dos mercados de ações e organizações que sobrevivem a mudanças, disse. "Esse conceito de um mundo pequeno pode explicar toda espécie de conexão", afirmou.

Dois homens, um na Croácia e um na Indonésia, foram os mais difíceis de localizar, enquanto um professor da Cornell University atraiu o maior número de conexões, disse Watts em entrevista por telefone.

"Você poderia pensar que se trata de um cara especial", disse Watts. "Mas eu o conheço muito bem. É um sujeito comum. Não viaja tanto. Havia outras pessoas participando que nós achávamos que seriam mais conectadas que ele", afirmou.

"A maior probabilidade é de que as pessoas tentem encontrar indivíduos que considerem fáceis de localizar", disse Watts, que se classifica como sociólogo matemático.

"Nós conhecíamos a distribuição demográfica dos participantes na pesquisa, eram moradores dos Estados Unidos e tinham educação superior, em sua maioria", disse. "As pessoas encontram o nome de um professor e pensam que será mais fácil descobri-lo, e entram em ação. Se por acaso recebem o nome impronunciável de alguém vivendo em um país que sequer sabem onde fica no mapa, talvez desistam."

A experiência envolveu mais de 61 mil usuários, de 166 países. Eles foram convidados a contatar uma de 18 pessoas, entre as quais um inspetor de arquivos na Estônia, um consultor de tecnologia na Índia, um policial na Austrália e um veterinário do exército norueguês.

"Os participantes foram informados de que sua tarefa era ajudar a transmitir uma mensagem para seus alvos escolhidos com a ajuda de pessoas que considerem 'mais próximas' do que eles do alvo", afirmaram os pesquisadores.

Em média foi necessário apenas entre cinco e sete passos intermediários para que a conexão fosse estabelecida.

A equipe de pesquisadores atualmente conduz outro experimento, descrito no site http://smallworld.columbia.edu/.

A idéia dos seis graus de separação surgiu pela primeira vez em 1967, quando o psicólogo norte-americano Stanley Milgram publicou a teoria de "mundo pequeno" na revista Psychology Today.

Milgram descobriu que voluntários nos Estados norte-americanos de Nebraska e Kansas conseguiram chegar a pessoas desconhecidas em Massachusetts usando uma rede de amigos, contatos comerciais e outras relações.



Índice
LEIA SÓ
NOTÍCIAS DE:
Folha Online
UOL News
UOL Esporte
UOL Economia
UOL Tablóide
Mundo Digital
Veja Online
Vestibuol
UOL Diversão e Arte
UOL Música
Exame
BBC
The New York Times
Cox News Service
El País
Financial Times
Le Monde
Hearst Newspapers
The Boston Globe
TNYT News Service
USA Today
Consultor Jurídico
AFP Internacionais
AFP Negócios
AFP Esporte
AFP Diversão
Reuters Geral
Reuters Negócios
Reuters Esporte
Reuters Diversão
Lusa
UOL Rádios e TVs
UOL Corpo e Saúde
Notícias sobre o UOL
Reuters Limited - todos os direitos reservados. O conteúdo Reuters é de propriedade intelectual da Reuters Limited.
Qualquer cópia, republicação ou redistribuição do Conteúdo Reuters, inclusive por armazenamento rápido, enquadramento
ou outros meios semelhantes, estão expressamente proibidas sem o consentimento prévio por escrito da Reuters.
A Reuters não será responsável por quaisquer erros ou atrasos no Conteúdo,
ou por quaisquer medidas tomadas na ocorrência fos fatos ora descritos.