Governo francês diz a turista para separar "dinheiro do ladrão"

Cláudio de Souza
Da Redação, em São Paulo

O Ministério do Exterior da França faz uma extensa lista de recomendações aos turistas daquele país que pretendam vir ao Brasil. Caso ela seja seguida à risca, o visitante praticamente não sairá do hotel.

São 17 itens que valem para todas as cidades brasileiras, e outros específicos para São Paulo, Rio de Janeiro, Brasília e capitais do Nordeste.

Numa prova de que está em sintonia com as práticas mais recentes dos criminosos brasileiros, o ministério francês alerta sobre o golpe telefônico do falso seqüestro. Também recomenda que seja separada uma quantia para ser entregue imediatamente em caso de assalto.

Diante do assassinato de três franceses no Rio, o site de ao menos um grande jornal francês, o diário conservador "Le Figaro", publicou nesta terça-feira (27) o link da página do ministério que contém as dicas de segurança para quem visita o Brasil.

Dinheiro do ladrão

Entre as recomendações gerais estão obviedades, como evitar os sinais de riqueza exterior, desconfiar de tentativas de chamar a atenção do turista, tomar cuidado ao fazer saques em dinheiro e não carregar grandes somas em espécie.

Mas há outras dicas bem mais sofisticadas: não se aproximar e muito menos fazer turismo nas favelas (contrariando um desejo freqüente dos visitantes estrangeiros); vigiar sua bebida nas discotecas; jamais resistir a qualquer tipo de agressão; e usar de prudência ao fazer "novas amizades" com os locais.

A recomendação de não carregar muito dinheiro vivo contém uma ressalva:
"Disponha sempre de uma nota de R$ 50 para entregar (ao bandido), sem hesitar e sem demorar, em caso de assalto". É o famoso "dinheiro do ladrão".

Ainda há alertas para nunca pegar táxis que estejam circulando em grandes avenidas ou que se ofereçam aos passageiros. O turista deve sempre abordá-los em pontos ou em hotéis.

Cuidados no Rio

As recomendações específicas do ministério francês quanto ao Rio desencorajam o turista a fazer quase qualquer programa sozinho. O Corcovado é citado especificamente como um lugar que só deve ser visitado em grupo.

As praias mais famosas da cidade também são uma fonte de perigos, segundo o governo francês. A dica é não freqüentá-las quando elas estiverem mais vazias (ao cair da tarde, muito cedo pela manhã, ou quando chove). São citadas as praias do Flamengo (inclusive o parque do Aterro), Botafogo, Copacabana, Ipanema e Leblon.

Também há alertas para evitar as linhas Vermelha e Amarela e a Avenida Brasil à noite, além da ligação entre a Barra da Tijuca e o resto da cidade.

São Paulo

Há menos pânico do governo francês em relação à capital paulista. São citados como locais arriscados a Praça da República, a Praça da Sé e a Estação da Luz. À noite, deve-se ter prudência "qualquer que seja o bairro".

Por fim, o site afirma que tem havido um aumento da criminalidade nas praias de São Paulo.

Para visitar a página de recomendações do Ministère des Affaires Étrangères, clique aqui. O texto está em francês. Há dicas de segurança para dezenas de outros países, clicando aqui.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos