BBC Brasil: com tragédia, simpatia ao povo chinês deve aumentar

Da Redação
Em São Paulo

Um forte terremoto atingiu a província de Sichuan, no sudoeste do país, e deixou milhares de mortos e feridos. Somente na Província de Sichuan, o número de mortos oficialmente confirmados passa de 8.500. A mídia estatal da China ainda não confirmou se há vítimas em outras províncias. A magnitude do terremoto foi de 7,8 graus na escala Richter. Os tremores chegaram a ser sentidos em Pequim, que fica a 1.500 quilômetros, e atém em Bangcoc, na Tailândia, a 3.300 quilômetros do local do epicentro do terremoto.

"A situação é de grande preocupação em relação à segurança dos moradores da região. O governo chinês reagiu relativamente rápido, não penas tentando enviar tropas, mas também divulgando informações para a mídia. O governo foi mais transparente que no passado", conta Rogério Simões, na BBC Brasil.

Para Simões, a tragédia pode fazer com que a imagem da China, tão desgastada com os protestos pró-Tibete pelo mundo, mude. "Esse terremoto e a disposição do governo chinês de receber ajuda estrangeira, é uma ocorrência que deve aumentar a simpatia em relação ao povo chinês. É uma tragédia de grandes proporções e pode levar boa parte da opinião pública a ver a China de uma maneira um pouco mais positiva", afirma.

Simões conta que a região atingida pelo terremoto é bastante populosa e fica distante dos locais que serão usados para os Jogos Olímpicos de Pequim. Ainda conforme Simões, a região tem várias montanhas. Muitas pontes foram atingidas e provavelmente derrubadas com o terremoto. "Isso fez com que o acesso ficasse muito difícil. 5.000 soldados foram enviados, mas chegar até o local do terremoto não é tarefa fácil", disse.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos