Lula discursa hoje na Cúpula Ibero-Americana; preocupação com a crise marca a abertura

Vinicius Konchinski Enviado Especial da Agência Brasil Em San Salvador (El Salvador)

O presidente Luiz Inácio Lula da Silva e a delegação brasileira chegaram nesta quinta-feira (30) a San Salvador (El Salvador) para participar da edição da Cúpula Ibero-Americana de Chefes de Estado, que termina amanhã (31). Lula reúne-se com o presidente boliviano, Evo Morales e depois discursa na cúpula. À tarde, o presidente viaja para Cuba, onde tem encontro marcado com o presidente Raúl Castro.

A preocupação com os efeitos da crise financeira no desenvolvimento dos países da América Latina marcou nessa quarta-feira a abertura da cúpula. Em todos os discursos de abertura do evento, que tem como tema oficial Juventude e Desenvolvimento, autoridades destacaram a importância da superação da atual turbulência para que seja assegurado o desenvolvimento das 22 nações participantes do encontro.

"Para que todos os acordos feitos aqui sejam cumpridos, temos que superar essa crise" avisou a presidente do Chile, Michelle Bachelet. Segundo ela, há seis anos os países latino-americanos têm registrado taxas de crescimento econômico muita acima da média histórica e este crescimento contribuiu para que milhões de pessoas deixassem a pobreza.

Porém, a crise é hoje um obstáculo para a continuidade dessas melhorias e, por isso, tem que ser combatida também pelos países ibero-americanos, cujos sistemas financeiros ainda nao apresentaram problemas.

Para o secretário-geral ibero-americano, Enrique Iglesias, a crise também é a oportunidade para que os países em desenvolvimento exijam a construção de um nova arquitetura da economia mundial. "O desenho desta nova arquitetura deverá contar com a plena participação dos países que hoje incidem significativamente na economia internacional, com é o caso da região ibero-americana."

Em mensagem de vídeo enviada especialmente para a abertura da cúpula, o secretário-geral da Organização das Nações Unidas (ONU), Ban Ki-moon, também falou da crise e disse que a solução depende de uma "liderança forte" e de uma "ação conjunta para se defender contra as ameaças."

O anfitrião da cúpula, o presidente de El Savador, Elías Antonio Saca, defendeu que o documento final do evento contenha recomendações para a criação de um grande pacto contra o problema. "Propostas de reforma do FMI, idéias para a solução da crise, pesquisas sobre novas fontes de financiamento saã alguns exemplos de iniciativas que deveríamos acrescentar neste grande pacto."

A Cúpula Ibero-Americana termina amanhã (31).

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos