Obama anuncia quatro nomes da equipe econômica que enfrentará a crise

Do UOL Notícias* Em São Paulo

(Atualizada às 16h49)

Obama nomeia economistas

  • AP

    Presidente do Fed de Nova York, Timothy Geithner foi nomeado para Secretário de Tesouro

  • AFP

    Secretário de Clinton, Larry Summers deve ser diretor do Conselho Econômico Nacional

  • AFP

    Economista da Universidade da Califórnia, Christina Romer será chefe do conselho de assessores

  • AFP

    Último nome a ser chamado, Melody Barnes será diretora do Conselho de Políticas Domésticas



O presidente eleito dos Estados Unidos, Barack Obama, anunciou nesta segunda-feira quatro nomes escolhidos para compor a equipe econômica de seu governo, que ficará encarregada de definir as políticas econômicas diante da recessão e da crise financeira. Em entrevista coletiva em Chicago, ao lado do vice Joe Biden, o democrata anunciou Timothy Geithner, Lawrence Summers, Christina Romer e Melody Barnes e disse que reuniu "uma equipe econômica com a visão e a expertise para estabilizar nossa economia, criar empregos e colocar a América de volta nos trilhos".

"Mesmo que estejamos enfrentando um desafio econômico, sabemos que uma oportunidade se apresenta - se agirmos rápida e vigorosamente. É a missão da nossa equipe econômica", acrescentou, destacando que ele e sua equipe de transição reuniram "as melhores mentes da América". "Procurei líderes que pudessem oferecer análises sólidas e idéias novas", justificou Obama.

Obama, que assume o cargo em 20 de janeiro, recorreu a políticos com conhecida trajetória. A nova equipe tem sido recebida com sarcasmo por muitos republicanos, que, diante da escolha de velhos nomes do governo Clinton (1993-2001), questionam a mudança prometida pelo democrata durante a campanha eleitoral.

"Peço aos nomeados que aceitem a indicação. Não temos tempo a perder, o trabalho começa hoje", falou após a nomeação.

Confira quem é quem na equipe de Obama:
Timothy Geithner, 47 anos, presidente do Federal Reserve de Nova York, será o secretário do Tesouro dos Estados Unidos. Ele assume no lugar de Henry Paulson. Obama justificou a escolhe de Geithner dizendo que ele "entende a linguagem dos mercados e serviu bem tanto a democratas como a republicanos, já esteve no governo e no mercado". "Sei que mais uma vez ele vai se sair bem a frente da Secretaria do Tesouro", falou.

O economista de Harvard Lawrence Summers, 53 anos, que foi secretário do Tesouro no governo de Bill Clinton, volta como diretor do Conselho Econômico Nacional para dirigir a equipe econômica da Casa Branca. Também será o principal assessor de Obama, coordenando suas políticas relativas à economia. Durante a entrevista coletiva, Obama ressaltou a gestão de Lawrence durante o governo Clinton, que, segundo ele, "teve recordes de superávit". "Summers irá fortalecer a classe média para aquecer a economia americana", disse.

A economista da Universidade da Califórnia Christina Romer será a chefe do conselho de assessores econômicos da Casa Branca. De acordo com Obama, ela é uma "especialista em crise e em como resolvê-la" e, por ser, "uma grande conhecedora de políticas fiscais e análises econômicas, será responsável por guiar a recuperação da economia".


Como uma das maiores mentes econômicas do nosso tempo, Larry ganhou reputação mundial por ser capaz de cortar na pele, diante de novos e complexos desafios. (...)
Ajudou a nos guiar em várias grandes crises internacionais e foi um arquiteto central que dirigiu o mais prolongado período de expansão de toda a história da economia americana, com aumento na renda das famílias e com mais de 20 milhões de novos empregos

Obama, ao nomear Lawrence Summers


Obama anunciou ainda Melody Barnes, suas assessora durante a campanha presidencial, como diretora do Conselho de Políticas Domésticas. Segundo ele, Melody tem "longa experiência no trabalho de assegurar a liberdade daqueles que fundaram esta nação, bem como para assegurar as oportunidades para quem são deixados para trás". Heather Higginbottom, que era diretora política da campanha de Obama, será diretora-adjunta.

Plano de reativação da economia
O novo presidente também espera trabalhar, rapidamente, em um plano de reativação da economia, com a meta de criar 2,5 milhões de empregos e pôr fim ao "círculo vicioso" da crise atual. "Hoje, nossa economia está presa em um círculo vicioso. Não temos um minuto a perder", destacou.

"Nossos mercados financeiros estão sob pressão, as compras de novas casas atingiram, em outubro, seu nível mais baixo nos últimos 50 anos e, recentemente, mais de meio milhão de novos pedidos de seguro-desemprego foram registrados", lembrou Obama. "Vamos ter de estender a mão aos outros países do mundo para elaborar uma resposta mundial" à crise, declarou Obama.

"Se não agirmos rapidamente e com audácia, a maioria dos especialistas acredita que poderemos perder milhões de empregos em 2009", alertou.

* com agências internacionais.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos