Secretário de Saúde e supervisora fiscal de Obama renunciam e ofuscam nomeação

Do UOL Notícias Em São Paulo

Ponto delicado no início do governo Obama, o pagamento de impostos fez novas baixas no gabinete presidencial norte-americano nesta terça-feira. O secretário de Saúde, Tom Daschle, não aguentou a pressão e pediu renúncia da pasta recém-assumida, a segunda baixa entre os nomeados por Barack Obama.

  • AP

    Obama nomeou o novo secretário do Comércio, Judd Gregg

  • EFE

    Tom Daschle, secretário da Saúde, pediu renúncia da pasta

Além dele, Nancy Killefer, indicada pelo presidente para supervisionar a eficiência federal, também retirou sua candidatura nesta terça após vir a público que ela não pagou diversos impostos durante um ano e meio.

As duas renúncias ofuscaram a nomeação do novo secretário do Comércio, o senador republicano Judd Gregg. Segunda opção para o cargo, o veterano senador substituirá o governador do Novo México, Bill Richardson, que no mês passado foi o primeiro atingido pela onda de baixas democratas.

Richardson deixou o cargo após ser envolvido em uma investigação para apurar a origem dos fundos de sua campanha, apesar de alegar inocência.

O novo secretário, Judd Gregg chefia o Comitê de Orçamento do Senado e é aguardado para se tornar um dos principais negociadores do governo Obama para a aprovação do plano de estímulo econômico de US$ 800 bilhões.

Já o pedido de saída de Daschle foi comunicado pelo presidente nesta terça, que lamentou a saída. "Daschle me pediu para retirar a nomeação", falou Obama em um comunicado oficial. "Eu acatei sua decisão com tristeza e pesar." Obama havia defendido o secretário frente ao Senado, quando ele foi questionado pelo atraso no pagamento de US$ 146 mil em impostos atrasados.

Segundo Obama, Daschle "cometeu um erro, e o admitiu publicamente. "Ele não o escondeu, e eu também não. Mas esse erro e a sua decisão de sair não podem diminuir a importância do trabalho prestado durante décadas de serviço público a este país", afirmou o presidente dos EUA.

Já Nancy Killefer escreveu seu pedido de renúncia em uma breve carta a Obama, em que diz que a atual situação de seu imposto poderia ser usada para "criar exatamente o tipo de distração e atraso" a ser evitado diante do cenário econômico do país.

Com isso, a situação fiscal dos nomeados segue sendo um ponto delicado nos primeiros dias do governo. O novo secretário do Tesouro, Timothy Geithner, teve sua nomeação criticada pelo Senado e teve que responder por um rombo de US$ 34 mil em seu imposto de renda.

Ex-presidente do Fed (Federal Reserve) de Nova York, Geithner pediu desculpas em uma longa sessão, em que admitiu a culpa, mas disse que se tratava de "um erro inocente", que não seria cometido novamente. A quantia devida foi paga com juros. Geithner, no entanto, foi confirmado no cargo.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos