Ex-preso de Guantánamo se declara inocente em corte de Nova York

Do UOL Notícias* Em São Paulo

Atualizada às 19h53

O primeiro detento de Guantánamo a ser transferido aos Estados Unidos para se submeter a julgamento civil se declarou inocente das acusações de terrorismo, incluindo atentados de 1998 contra embaixadas norte-americanas na África.

Ahmed Jalfan Ghailani

  • O governo dos Estados Unidos transferiu a Nova York para ser julgado o tanzaniano Ahmed Khalfan Ghailani, detido na base naval de Guantánamo desde setembro de 2006

"Inocente", declarou Ahmed Jalfan Ghailani, ao ser questionado pela juíza federal Loretta Preska sobre as 286 acusações dirigidas contra ele e que poderiam condená-lo à morte.

Ghailani, natural da Tanzânia, esteve detido na prisão militar de Guantánamo, em Cuba, desde setembro de 2006. Ele participou da audiência de 15 minutos com uniforme azul claro e sem algemas.

Ele é acusado de participar dos ataques de 7 de agosto de 1998 contra embaixadas dos Estados Unidos em Dar es Salaam (Tanzânia) e Nairóbi (Quênia). Mais de 220 pessoas morreram nos ataques.

Ghailand foi detido em 2004 no Paquistão sob suspeita de ter comprado o caminhão e os tanques de oxigênio utilizados no atentado na Tanzânia.

Entre as 286 acusações também estão homicídio e conspiração com Al Qaeda para utilizar armas de destruição em massa contra norte-americanos.

Prisão de segurança super-máxima poderia receber presos de Guantánamo

A única prisão de segurança super-máxima do governo federal abriga uma verdadeira galeria dos criminosos mais perigosos do mundo, que passam seus dias e noites isolados em celas de concreto à prova de som. A maior parte das pessoas de fora nunca entra; a maior parte dos presos nunca sai. Para lá poderiam ir os presos de Guantánamo

A juíza federal marcou uma nova audiência para 16 de junho, dando prazo para que seja definida a equipe de advogados que defenderá o tanzaniano no processo.

O julgamento de Ghailani é o primeiro passo do plano do presidente norte-americano, Barack Obama, para fechar Guantánamo e transferir todos os presos ao sistema jurídico civil dos Estados Unidos ou a seus países de origem.

Obama se comprometeu a fechar, antes de 2010, a prisão que George W. Bush criou para "combatentes inimigos" na guerra contra o terrorismo lançada após o 11 de setembro de 2001.

*Com informações a AFP

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos