Massacre em clínica de reabilitação marca Dia da Independência no México

Do UOL Notícias* Em São Paulo

As comemorações do Dia da Independência no México foram marcadas pelo assassinato de 24 pessoas em Ciudad Juárez, dez delas em uma clínica de reabilitação de dependentes de drogas.

Os festejos pelos 199 anos de independência começaram ontem à noite com a tradicional cerimônia do "Grito", um evento que lembra a convocação do sacerdote Miguel Hidalgo à insurreição, na madrugada de 16 de setembro.
  • Guillermo Arias/AP

    Equipe de peritos cerca entrada de centro de reabilitação onde dez pessoas foram assassinadas


O evento esteve rodeado de fortes medidas de segurança este ano diante do temor de que ocorressem atentados. No ano passado, em Morelia, no Estado de Michoacán,um suposto grupo de matadores de Los Zetas, o braço armado do cartel do Golfo, lançou granadas contra os cidadãos que comemoraram a festa no centro da cidade. Oito pessoas morreram e mais de cem ficaram feridas naquele que foi considerado o maior atentado contra a população civil por parte do narcotráfico.

Este ano, a violência voltou a marcar presença, desta vez em Ciudad Juárez, que faz fronteira com a cidade americana El Paso. Segundo testemunhas, um grupo de atiradores com fuzis automáticos entrou no centro de reabilitação de dependentes de drogas "Centro de Vida" e matou a tiros nove homens e uma mulher, enquanto a população festejava a independência do país em outras localidades da cidade.

Este é o segundo massacre registrado em um centro para dependentes este mês. Em 2 de setembro, outro grupo armado assassinou 18 pessoas em uma clínica de reabilitação chamada "El Aliviane".

Além do crime na clínica, o porta-voz da Segurança Pública de Ciudad Juárez, Jacinto Segura, informou o assassinato de cinco pessoas que celebravam a independência no bar "Coco Bombo", no centro da cidade.

Segundo testemunhas, um grupo de atiradores entraram no local após a meia-noite e selecionou suas vítimas para assassiná-las com um tiro na cabeça, enquanto os demais clientes observavam a cena aterrorizados

Outras cinco pessoas foram mortas em um lava-rápido na região nordeste de Ciudad Juárez.

Os assassinatos acontecem após as autoridades mexicanas anunciarem a retirada paulatina de cerca de 6.000 militares e policiais federais da localidade para deixar a segurança nas mãos da nova polícia municipal.

Ciudad Juárez é a cidade mais violenta do México com 1.600 assassinatos dos 6.000 registrados em todo o país no ano passado. Este ano, a região já registra mais de 1.400 homicídios. O cartel de Juárez, originário dessa região, e o cartel de Sinaloa disputam o controle das atividades ilícitas em Ciudad Juárez.

* Com informações da EFE

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos