Líbia liberta 88 presos de grupos islâmicos armados

Do UOL Notícias* Em São Paulo

Um total de 88 membros de grupos islâmicos armados que estavam em prisões líbias serão libertados hoje como resultado de negociações realizadas nos últimos meses com autoridades do país para que abandonem as armas, segundo informações do jornal "Oya".

Dos presos que serão libertados, 45 pertencem à organização Grupo Islâmico de Combatentes Líbios (GICL), enquanto os demais são representantes de diversos grupos armados.

O jornal reporta que a medida é a conclusão de um processo de diálogo empreendido pela Fundação Khadafi, presidida por Seif el Islam, filho do ditador líbio, que "acompanhou pessoalmente a evolução dos contatos" para conseguir que os rebeldes renunciassem à violência.

Outros 104 rebeldes detidos já se beneficiaram de acordo semelhante desde que começaram as negociações, há dois anos.

O CIGL, o maior grupo islâmico líbio, se formou no começo da década de 1990 no Afeganistão e seu objetivo declarado era acabar com o regime de Muamar Khadafi na Líbia para implementar um governo islâmico. Em 2007, anunciou sua adesão à Al-Qaeda, mas nunca realizou atentado ou ação armada em território líbio.

*Com agência EFE

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos